Pandemia
17 Maio 2021 11:12:00

Confira o número de casos, novos e recuperados, registrados entre os dias 10 e 16 de maio

$artigoImagemTitulo

Até a manhã dessa segunda-feira, dia 17, Pomerode possui 36 casos ativos de Covid-19. No domingo, dia 16, a cidade não confirmou nenhum novo caso ativo e recuperou outros quatro casos. Além disso, a cidade conta com dois pacientes internados na UTI de Timbó.

Confira os casos novos confirmados e os recuperados entre os dias 10 e 15 de maio

10/05: Sete novos casos ativos. Dois casos recuperados;

11/05: 10 novos casos ativos. Oito casos recuperados;

12/05: Oito novos casos ativos. Um caso recuperado.

13/05: Cinco novos casos ativos. Um caso recuperado;

14/05: Setes novos casos ativos. 13 casos recuperados;

15/05: Nenhum novo caso. Cinco casos recuperados.



Pandemia
15 Maio 2021 11:55:00

Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí e Nordeste foram classificadas como grave

$artigoImagemTitulo

A Matriz de Risco Potencial divulgada neste sábado, 15, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) aponta que três regiões de Santa Catarina foram classificadas no patamar grave (cor laranja) e outras 13 na situação gravíssima (cor vermelha) para a transmissão da Covid-19.

As regiões de Grande Florianópolis, Médio Vale do Itajaí e Nordeste foram classificadas como grave. A melhora ocorreu após duas semanas consecutivas sem alterações, onde apenas a região da Grande Florianópolis permanecia nesse patamar.

A exemplo da semana passada, a Grande Florianópolis não foi classificada em nível gravíssimo em nenhum dos quatro índices avaliados pela matriz: evento sentinela (elevação do número de óbitos); transmissibilidade (variação do número de casos); monitoramento (número de exames RT-PCR para Covid-19 processados pelo Lacen) e capacidade de atenção (ocupação dos leitos de UTI).

A única região avaliada com risco máximo em todos os quesitos foi a do Alto Vale do Rio do Peixe.



Imunização
15 Maio 2021 11:30:00

Dr. José Amaral Elias fala sobre a ação da vacina, os possíveis efeitos colaterais e a importância de seguir com a imunização

$artigoImagemTitulo

Nas últimas semanas, uma série de dúvidas sobre possíveis efeitos colaterais causados pela vacina contra o coronavírus da AstraZeneca tem levantado preocupação nos grupos prioritários que devem ser imunizados nessa fase da campanha nacional, já que o número de doses desse imunizante que chegou às cidades é grande. Para esclarecer esses pontos, o Testo Notícias conversou com o infectologista da Secretaria de Saúde de Pomerode, Dr. José Amaral Elias.

Qual a diferença entre a Coronavac e a AstraZeneca?

De acordo com Dr. José, são vacinas de plataformas diferentes, de tecnologias distintas. "A base da Coronavac é de vírus inativado, uma tecnologia utilizada desde as primeiras vacinas. Então não temos vírus nenhum, é como se fosse apenas 'capinha' externa do vírus que vai induzir a formação de anticorpos", esclarece.

No caso da AstraZeneca, a tecnologia é mais recente, cuja base é um adenovírus, que não causa doença aos humanos. "Então temos esse adenovírus com uma parte do RNA do Coronavírus. Dessa forma, vai induzir a formação de anticorpos por outro mecanismo, a partir desse vírus, que acaba tendo mais efeitos."

Conforme o infectologista, os efeitos causados pela vacina podem ser: dores no corpo, dor de cabeça e febre, geralmente com quadros de curta duração.

O que fazer se tiver efeitos colaterais após tomar a vacina?

Muitos dos vacinados com doses da AstraZeneca não sentiram qualquer efeito adverso após a imunização. Isso porquê, depende não só de cada organismo, mas também do momento, ou seja, se recentemente a pessoa passou por um quadro viral, pode ter mais facilidade em experimentar algum efeito da vacina.

Como na grande maioria dos casos esses sintomas são leves e passageiros, o paciente pode utilizar medicamentos sintomáticos, ou seja, aqueles que tratam dor de cabeça e febre (como Tylenol e Dipirona). Caso se tornem intensos, a indicação é procurar por atendimento médico para que o profissional indique o tratamento mais acertado. "Essas vacinas são muito novas e estão numa fase que chamamos de farmacovigilância, como se fosse a fase 4 do estudo. Os imunizantes já estão em ação porque estamos em uma pandemia e precisamos diminuir a mortalidade. Então, nos quadros mais intensos é importante notificar para ser tratado de maneira adequada", orienta.

Utilização em grávidas e contraindicações

Dr. José explica que a vacina não é aplicada em crianças, pois essa modalidade não foi testada. Para mulheres grávidas, também não houve testes específicos, porém, como até mesmo no Brasil tem havido um grande número de gestantes que contraem o coronavírus e evoluem para quadros graves, a vacina havia sido liberada para imunizá-las. No entanto, com o registro da morte de uma gestante, que havia tomado a dose do imunizante recentemente, foi recomendada e acatada a suspensão da vacinação para esse público-alvo. "Não podemos dizer que a morte foi causada pela vacina, mas, por precaução, temos essa orientação", pontua.

No que diz respeito às informações de que a aplicação da AstraZeneca pode levar à formação de coágulos, Dr. José afirma que nenhum caso dessa natureza foi documentado no Brasil e há um baixo número de possíveis ocorrências nas demais nações do mundo. A indicação dele é que, caso tenham dúvidas, as pessoas que já tiveram trombose ou possuem alguma condição relacionada à coagulação sanguínea, conversem com o médico de confiança para tirar as dúvidas e ter a indicação ou a contraindicação da imunização.

Vacina da gripe e vacina contra o coronavírus

É importante que as pessoas entendam que cada imunizante age contra um tipo de vírus. Ou seja, mesmo que tenham sido vacinados contra o coronavírus, os integrantes dos públicos-alvo também busquem a aplicação da dose contra a Influenza. O que se indica, no entanto, é que o intervalo entre as duas vacinas seja de pelo menos duas semanas. "Como as duas vacinas não foram testadas ao mesmo tempo, o indicado é aguardar esse tempo para que o organismo absorva um imunizante para depois receber o outro."

Outro ponto importante é que as pessoas não deixem de tomar a segunda dose da vacina contra o coronavírus. Já que todos os estudos mostraram que a indução do número maior de anticorpos ocorre após a aplicação da segunda dose da vacina.

A vacina é o caminho

Dr. José destaca que os imunizantes são a forma de controlar a doença. "Hoje, nós já temos exemplos como o da Inglaterra, onde em breve a população será liberada de usar máscara em vários locais, por causa da vacinação. Israel é outro exemplo". Segundo ele, há também países como os Estados Unidos, que tiveram uma grande redução no número de casos e de óbitos e começam a retomar, inclusive, a economia.

O infectologista explica que essas vacinas ainda não são capazes de erradicar ou controlar completamente a Covid, mas, comprovadamente, reduzem a mortalidade. Para Dr. José, esse é o grande impacto dessa primeira geração de vacinas contra o novo coronavírus, preservar vidas.

"Pelo que já conhecemos de outros vírus, há muito tempo, sabemos que os medicamentos contra doenças virais não conseguem grande eficácia, inclusive em prevenção. Não existe medicamento que previna algum tipo de infecção viral. Mas que as vacinas são eficazes, de maneira secular. A humanidade tem hoje esse número de pessoas na terra por causa das vacinas, principalmente. Esse é o nosso caminho", conclui. 


Pandemia
15 Maio 2021 11:07:00

A ocupação de leitos de UTI SUS adultos em Santa Catarina é de 93,6%

$artigoImagemTitulo

Nesta sexta-feira (14), Santa Catarina contabiliza 24 pacientes infectados pelo Coronavírus à espera de um leito de UTI no Estado. Este é o menor número desde o início da divulgação da lista de espera, em fevereiro. Antes disso, o menor número de pessoas na fila considerando esse período havia sido 27 pacientes, nos dias 1º de maio e 27 de abril.

A região Norte segue liderando a fila por leito de UTI, com 16 pessoas. Apesar de Joinville liderar a demanda por leitos, outras sete cidades da região pediram transferência de pacientes para UTI: Canoinhas, Itapoá, Mafra, Monte Castelo, Papanduva, São Bento do Sul e Três Barras.

Há pedidos também no Meio-Oeste (5), Sul (2), e Vale do Itajaí (1). Foz do Rio Itajaí, Grande Oeste, Grande Florianópolis e Serra não possuem pacientes na fila. Os dados são do setor de regulação da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Além da fila por UTI, há 13 pacientes aguardando leito de enfermaria, todos na região Norte/Nordeste.

A ocupação de leitos de UTI SUS adultos em Santa Catarina é de 93,6%. O Grande Oeste (99,4%), Planalto Norte e Nordeste (98,7%), e Meio-Oeste e Serra (97,5%) lideram em ocupação. O melhor resultado é da Grande Florianópolis (76,4%). Segundo a SES, há 97 leitos disponíveis, mas a fila continua por impossibilidades de remoção de alguns pacientes.



Vacinação
15 Maio 2021 10:13:00

No momento, o foco da vacinação contra Covid é o grupo de pessoas com comorbidades

$artigoImagemTitulo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) em parceria com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de SC (Cosems/SC) enviou para os 295 municípios de Santa Catarina a orientação para que professores e trabalhadores da educação em geral sejam vacinados primeiro contra a gripe (Influenza), antes da Covid-19. Os órgãos informam que não há doses suficientes para iniciar a imunização desses profissionais contra o Coronavírus e que o Plano Nacional de Imunizações (PNI) prevê que pessoas com comorbidades têm prioridade.

O documento afirma que são mais de 992 mil pessoas com comorbidades em Santa Catarina. O último boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) aponta que apenas 36 mil doses foram destinadas a esse público. O envio da orientação acontece após o próprio governo do Estado divulgar que vai priorizar profissionais de educação contra a Covid-19.

Diante das indefinições de prazo para quando iniciar a vacinação de profissionais de educação, as prefeituras devem imunizá-los primeiro com a vacina contra a gripe. "Orienta-se, neste momento, que os mesmos sejam vacinados contra a Gripe (Influenza), cuja campanha já está em andamento, enquanto é finalizado o planejamento para iniciar a etapa de vacinação dos trabalhadores da educação contra Covid-19", diz o documento.

"A Secretaria de Estado da Saúde e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde orientam a todos os municípios que aguardem a deliberação da Comissão Intergestores Bipartite informando sobre o início da etapa de vacinação dos trabalhadores da educação", acrescenta.

No momento, o foco da vacinação do Estado é o grupo de pessoas com comorbidades - seguindo critérios da maior para a menor idade -, gestantes e puérperas com comorbidades, e pessoas com deficiência permanente grave.

Além dos profissionais de educação, a fase 4 do Plano Estadual de Vacinação prevê a imunização de forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional, que seriam os próximos da fila. A cobertura vacinal iniciou para agentes de segurança e salvamento, mas somente àqueles que têm contato com pacientes Covid-19.


Pandemia
14 Maio 2021 08:01:00

$artigoImagemTitulo

Santa Catarina recebeu mais um lote de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta-feira, dia 13. Chegaram ao Estado mais 79.750 doses da vacina AstraZeneca/Fiocruz e 72.800 doses da vacina Coronavac/Butantan. O total é 152.550 doses.

A carga chegou no horário previsto ao Aeroporto de Florianópolis, as 15h40. As doses serão encaminhadas para a Rede de Frio estadual para a organização da logística de distribuição para as 17 unidades regionais de saúde. A distribuição começa nesta sexta (14), pela manhã.


Pandemia
11 Maio 2021 11:02:00

Desta vez, em um primeiro momento, cinco municípios catarinenses vão receber as doses da vacina Pfizer

$artigoImagemTitulo

O Governo do Estado recebeu nesta segunda-feira, 10, nova remessa da vacina Pfizer. O lote com 39.780 doses chegou ao aeroporto de Florianópolis às 19h20 e foi recepcionado pelo secretário adjunto da Saúde, Alexandre Lencina Fagundes. Do aeroporto, as doses da vacina foram encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio para a organização da distribuição, que começa nesta terça, 11.

"A chegada de vacinas sempre renova as nossas esperanças em ver o fim desta pandemia cada vez mais próximo. O compromisso do Governo do Estado é realizar uma distribuição rápida aos municípios. Ao mesmo tempo em que a população se vacina, não podemos descuidar dos protocolos sanitários", ressalta o governador", ressalta o governador Carlos Moisés.

"Todo o quantitativo de imunizante que chega a Santa Catarina tem uma importância muito grande, porque nos permite avançar nos grupos prioritários e, assim trazer mais segurança para a população catarinense", destaca Alexandre Lencina Fagundes, secretário adjunto da Saúde.

Ricardo Wolffenbüttel / Secom/

Desta vez, em um primeiro momento, cinco municípios catarinenses vão receber as doses da vacina Pfizer. Para Florianópolis serão encaminhadas 10.530 doses, São José vai receber 7.020 doses, já os municípios de Tubarão, Joinville e Blumenau vão receber 4.600 doses cada, totalizando 31.350 doses. Todos esses municípios foram treinados e possuem estrutura física de parceiros como universidades e laboratórios privados com ultracongeladores.

A distribuição para estes municípios começa às 8h desta terça. "O resultado da distribuição do primeiro lote desta vacina somente para Florianópolis e São José foi bem positivo e conseguimos avaliar de perto o manejo necessário para a conservação da temperatura. Por isso, decidimos ampliar a distribuição para outros municípios que já estão aptos para receber esse imunizante", assinalou o diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck.

As demais, um total de 8.430 doses, serão distribuídas para outros municípios que possuam estrutura para armazenamento e equipes capacitadas para administrar os imunizantes.

A vacina produzida pelo laboratório Pfizer chega a Santa Catarina a uma temperatura de -20ºC. Nessa temperatura, as doses podem ser mantidas por até 14 dias. Antes da aplicação, as doses devem ficar a uma temperatura de 2 a 8 graus por um período de até cinco dias.

As vacinas servirão para dar continuidade à vacinação das pessoas com comorbidades, com a aplicação da primeira dose (D1). A segunda dose (D2) deve ser aplicada com um intervalo de 12 semanas após a primeira dose, conforme orientação do Ministério da Saúde.


11 Maio 2021 08:39:00
Autor: Por: Secom

Prazo foi definido como forma de averiguar quais unidades hospitalares mantêm condições e estoques de medicamentos para uma retomada segura

$artigoImagemTitulo

O Governo do Estado prorrogou a suspensão das cirurgias eletivas por mais 72 horas. O prazo foi definido como forma de averiguar quais unidades hospitalares mantêm condições e estoques de medicamentos para uma retomada "imediata e segura".

A portaria 487 publicada nesta segunda-feira, 10, no Diário Oficial do Estado prorrogou a suspensão até o próximo dia 13 de maio. E já na quarta-feira, uma reunião está agendada entre o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, e os representantes das associações filantrópicas catarinenses para definir a retomada dos procedimentos.

"É o entendimento do Governo do Estado que as cirurgias eletivas são prioridade máxima e por isso precisam ser retomadas", afirma André Motta. "Nessa reunião da quarta-feira avaliamos as unidades que possuam condições e medicamentos para a liberação imediata. Em relação aos demais, a SES irá buscar uma forma de manter os estoques de anestésicos e sedativos".

O cancelamento das cirurgias eletivas em que era necessário o uso de sedativos e internações em UTI ocorreu por meio da Portaria 168, em 22 de fevereiro. A última prorrogação ocorreu com a publicação da portaria 458, no dia 30 de abril, estendendo o prazo para até esta segunda-feira, 10 de maio.


Pandemia
10 Maio 2021 14:30:00

Outras 39.780 doses da vacina Pfizer chegam na segunda-feira

$artigoImagemTitulo

O Governo de Santa Catarina recebeu no sábado, dia 8, nova remessa com mais 55,8 mil doses da vacina Coronavac. As doses chegaram ao aeroporto de Florianópolis, as 10h, e foram encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio, para a organização da logística de distribuição para as 17 Unidades Descentralizadas de Vigilância Epidemiológica (UDVEs) das Regionais de Saúde de Santa Catarina. A distribuição das doses começa ainda neste sábado, no início da tarde.

"Nossa prioridade sempre foi a distribuição célere aos municípios para garantir a proteção do maior número de catarinenses. A imunização é nossa principal ferramenta contra a Covid-19 e vamos seguir esse trabalho intenso junto às prefeituras e equipes de saúde, logística e segurança", destaca o governador Carlos Moisés.

Neste primeiro momento, foram encaminhadas aos municípios catarinenses 47.230 doses da vacina do laboratório Sinovac/Butantan, exclusivamente, para aplicação da segunda dose. Este número de doses, segundo levantamento realizado com os próprios municípios, é suficiente para que todos consigam completar o esquema vacinal das pessoas que já receberam a primeira dose.

"É fundamental que as pessoas tomem as duas doses da vacina contra a Covid-19 para garantir a proteção completa. Com essa nova remessa, conseguimos avançar na imunização e em breve iniciar outros grupos prioritários, como o com comorbidades, com efetividade e agilidade", explica o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro.

Com mais essa remessa, o estado soma um total de 2.524.790 doses recebidas entre os fabricantes Sinovac/Butantan (1.442.640), AstraZeneca/Fiocruz (1.064.600) e Pfizer (17.550).

Santa Catarina recebe nova remessa com 39.780 doses da vacina Pfizer nesta segunda

O Governo de Santa Catarina recebe nesta segunda-feira, dia 10, nova remessa com mais 39.780 doses da vacina do fabricante Pfizer. A previsão é que as doses cheguem ao aeroporto de Florianópolis as 19h. Acompanham a chegada do lote o secretário adjunto da Saúde, Alexandre Lencina Fagundes, e o superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário. As informações sobre a distribuição serão divulgadas ao longo desta segunda-feira.


08 Maio 2021 11:40:00

Não houve alterações de classificação em relação à matriz divulgada no último final de semana

$artigoImagemTitulo

Pela segunda semana consecutiva, a Matriz de Risco Potencial divulgada neste sábado, 08, aponta que apenas a região da Grande Florianópolis se manteve no patamar grave (cor laranja) para a transmissão da Covid-19. Todas as outras 15 regiões foram classificadas em nível gravíssimo (cor vermelha). Não houve alterações de classificação em relação à matriz divulgada no último final de semana.

A região da Grande Florianópolis não foi classificada em nível gravíssimo em nenhum dos quatro índices avaliados pela matriz: evento sentinela (elevação do número de óbitos); transmissibilidade (variação do número de casos); monitoramento (número de exames RT-PCR para Covid-19 processados pelo Lacen) e capacidade de atenção (ocupação dos leitos de UTI). Por outro lado, o Alto Uruguai Catarinense, recebeu nota máxima em todos os índices analisados pela matriz. O novo mapa será divulgado no dia 15 de maio.


07 Maio 2021 15:06:00
Autor: Assessoria

Agendamento já pode ser realizado e será executado de forma diferente dos grupos anteriores

$artigoImagemTitulo

Pomerode iniciará a terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Essa fase inclui pessoas com comorbidades em idades entre 18 e 59 anos, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas. A campanha acontece em duas fases, vacinando grupos específicos em cada momento. As gestantes e puérperas com comorbidades, por exemplo, entram na primeira fase da vacinação. Já as sem comorbidades, serão vacinadas na segunda fase.

Atestado ou Declaração Médica para Comorbidades

Pessoas com comorbidades, com idade entre 18 e 59 anos, obrigatoriamente deverão apresentar atestadas ou declaração médica recente. O documento deverá ser apresentado no momento do agendamento da vacina e será retido no momento da vacinação.

Um protocolo foi elaborado por profissionais da Secretaria de Saúde de Pomerode, para que a vacinação contra Covid-19 no grupo de pessoas com comorbidades seja realizada de forma ordenada, e atenda aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS).

A prescrição/solicitação de vacina contra Covid-19 deve ser realizada preferencialmente em formulário padrão, conforme Anexo II do protocolo elaborado pela Secretaria de Saúde de Pomerode. Caso os profissionais optem por utilizar receituário simples, a prescrição deverá conter, obrigatoriamente, as seguintes informações:

- Nome completo

- Data de nascimento

- Peso e estatura (atual)

- Comorbidades

- CID - 10

- Particularidades de cada comorbidade

Obs.: As particularidades a serem registradas para cada doença estão especificadas neste protocolo e a sua informação é de caráter obrigatório.

Como conseguir a prescrição na Rede Pública

Qualquer munícipe que esteja dentro dos grupos prioritários poderá obter a sua prescrição na Unidade de Saúde de seu bairro, porém deve-se fazer um agendamento prévio diretamente no telefone da sua unidade, para que o atendimento seja agilizado. Confira os contatos de cada unidade:

ESF Amanda Reinke (Wunderwald) - 47 3395-1435

ESF Benedickt Wolleck (Ribeirão Clara) - 47 3399-0803

ESF Carlos Ramthun (Pomerode Fundos) - 47 3387-0114

ESF Edgar Liesenberg (Testo Rega II) - 47 3306-6830

ESF Horst Wilhelm (Testo Central I) - 47 3387-6233

ESF Jane Meri Siebert (Testo Rega I) - 47 3387-2200

ESF Nelson Riemer (Testo Alto) - 47 3395-0339

ESF Rosita Zimmer (Ribeirão Areia) - 47 3387-3421

ESF Vollrad Laemmel (Testo Central II) - 47 3387-0662

ESF Ricardo Jung (Centro) - 47 3387-3477

Todos os Telefones listados acima, atendem também através do WhatsApp. Agendamento das 7h às 11h45min e das 13h às 15h45min para todas as unidades.

Agendamento

Para quem procurar a Rede Pública para obter a prescrição, na própria unidade será realizado o agendamento para a aplicação da vacina.

Para os pacientes que obtiverem a prescrição na Rede Particular, o agendamento deve ser feito através do WhatsApp da ESF, informada acima, ou na Unidade de Saúde mais próxima, de forma presencial, para que seja verificada a documentação.

Primeira Fase

Deverão ser vacinados os grupos prioritários elencados abaixo, considerando os seguintes critérios de priorização estabelecidos pelo Ministério da Saúde e deliberações do Governo do Estado. Confira os públicos e a documentação necessária para vacinação:

-Pessoas com Síndrome de Down: declaração médica.
-Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise): Serão vacinadas na clínica de referência.
-Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea: Declaração médica.
-Gestantes com comorbidades: Carteira de acompanhamento da gestante/pré-natal + declaração médica que comprove a comorbidade.
-Puérperas com comorbidades: Declaração de nascimento da criança ou certidão de nascimento + declaração médica com comprovação de comorbidade.
-Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) entre 18 a 59 anos: Comprovante de recebimento do benefício + declaração médica.
-Pessoas com Deficiência Permanente de 55 a 59 anos: Declaração médica
-Pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos: Declaração médica que comprove a condição de risco (comorbidade).
-Segunda Fase terá a data de início divulgada na próxima semana

Serão vacinados grupos de pessoas com comorbidades, pessoas com Deficiência Permanente e Gestantes e Puérperas independentemente de condições pré-existentes considerando os seguintes critérios de priorização por faixa etária, de forma escalonada da maior para a menor idade. A vacinação inicia pela faixa etária de 54 a 50 anos, seguindo para 49 a 45 anos, depois para 44 a 40 anos, 39 a 35 anos, 34 a 30 anos e fechando com 29 a 18 anos.

Confira a lista de comorbidades da segunda fase da terceira etapa da Campanha de Vacinação Contra a Covid-19:

-Diabetes mellitus
-Pneumopatias crônicas graves
-Hipertensão arterial resistente (HAR)
-Hipertensão arterial estágio 3
-Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade
-Insuficiência cardíaca (IC)
-Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
-Cardiopatia hipertensiva
-Síndromes coronarianas
-Valvopatias
-Miocardites e Pericardiopatias
-Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas
-Arritmias cardíacas
-Cardiopatias congênita no adulto
-Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados
-Doença cerebrovascular
-Doença renal crônica
-Imunossuprimidos
-Hemoglobinopatias graves
-Obesidade mórbida
-Cirrose hepática


Pandemia
06 Maio 2021 11:02:00

As doses servirão para aplicação de primeira dose e outra parte para segunda dose

$artigoImagemTitulo

Santa Catarina deve receber mais 138.900 doses de vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (6). A previsão é de que a carga chegue ao Aeroporto de Florianópolis às 15h40, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Os lotes devem ser repassados ao municípios na sequência. As doses servirão para aplicação de primeira dose - em gestantes, portadores de síndrome de down, pacientes que realizam hemodiálise, entre outros - e outra parte para segunda dose.

Segundo a SES, devem ser separadas cerca de 40 mil doses para segunda aplicação em profissionais da saúde que receberam o imunizante de origem britânica ainda em fevereiro.



Pandemia
04 Maio 2021 09:57:00
Autor: Por: Governo do Estado

$artigoImagemTitulo

Santa Catarina recebeu nesta segunda-feira, 3, nova remessa com mais 250.300 doses da vacina contra a Covid-19. Destas, 232.750 são do laboratório AstraZeneca/Fiocruz e 17.550 da Pfizer. As doses chegaram ao aeroporto, em Florianópolis, às 13h45, e foram encaminhadas à Central Estadual de Rede de Frio para organização da logística de distribuição para as 17 centrais regionais do estado.

"Santa Catarina já aplicou mais de 1,6 milhão de doses contra Covid-19. Nosso esforço continua para que as vacinas cheguem de forma célere aos municípios. Também estamos atuando na busca ativa dos catarinenses dos grupos prioritários para que não deixem de receber as doses necessárias para a proteção completa", reforçou a governadora Daniela Reinehr.

As 17.550 doses da vacina Pfizer serão distribuídas aos municípios de Florianópolis e São José ainda nesta segunda, 3. Serão 10.530 doses para Florianópolis e 7.020 para São José. "Neste primeiro momento, a decisão de enviar doses da Pfizer somente para esses dois municípios foi com o objetivo de avaliar a logística de distribuição, tendo em vista que as doses desta vacina exigem maior atenção. Em um segundo momento, outros municípios também vão receber as doses, sendo que serão capacitados para isso", explica o diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck.

As vacinas da Pfizer serão usadas para a aplicação da primeira dose nos grupos prioritários que estão sendo vacinados neste momento em cada um dos municípios. Ela também é aplicada em duas doses e, segundo recomendação do Ministério da Saúde, o intervalo entre a primeira e a segunda dose deve ser de 12 semanas.

"Com essas doses que estão chegando vamos permitir a conclusão de toda população com 60 anos ou mais, trabalhadores da área da saúde e, assim dar início à vacinação na população com comorbidades. Nos próximos dias, também estaremos recebendo mais uma remessa de vacinas para aplicação da dose 2 em Santa Catarina", ressalta Carmen Zanotto, Secretária de Estado da Saúde.


Mauricio Vieira / Secom/

Próximos grupos a serem vacinados

As 232.750 doses da vacina do laboratório AstraZeneca/Fiocruz serão distribuídas a todos os municípios catarinenses a partir desta terça-feira, 4, e serão usadas para concluir a vacinação, com aplicação da primeira dose, no grupo dos idosos entre 60 e 64 anos e trabalhadores da saúde. O quantitativo de doses distribuído para os trabalhadores da saúde nesta remessa completa a totalidade do pedido de complementação realizado ao Ministério da Saúde para atender esse grupo, conforme a Deliberação 050/CIB/2021.

As doses da vacina do laboratório AstraZeneca/Fiocruz também serão utilizadas para dar continuidade à vacinação dos profissionais das forças de segurança e salvamento e iniciar a vacinação de um novo grupo prioritário, o de pessoas com comorbidades, deficiência permanente, gestantes e puérperas.

As vacinas começam a ser distribuídas às 6h da manhã desta terça-feira, 4, via área. O avião do Corpo de Bombeiros Militar levará as doses para as centrais regionais de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xanxerê e Concórdia. O avião da Polícia Militar distribuirá as doses para as centrais de Lages, Joaçaba e Videira. A partir das 7h, saem as doses via terrestre para as centrais de Rio do Sul, Grande Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Mafra, Tubarão, Criciúma, Araranguá, Blumenau e Itajaí.

Como será vacinação de pessoas com comorbidades

A vacinação deste novo grupo foi definida entre representantes da Secretaria da Saúde e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de SC em reunião da Comissão Intergestores Bipartite realizada na noite do último domingo, 2.

Ficou definido que, na fase 1, serão vacinados, de acordo com o quantitativo de doses a ser disponibilizado, os grupos prioritários abaixo, nesta ordem:

Pessoas com Síndrome de Down, independente da idade (18 a 59 anos);

Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), independente da idade (18 a 59 anos);

Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea, independente da idade (18 a 59 anos);

Gestantes e puérperas com comorbidades*, independente da idade (maiores de 18 anos);

Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), independente da idade (18 a 59 anos);

Pessoas com Comorbidades e Deficiência Permanente de 55 a 59 anos.,

Na fase 2, serão vacinados os grupos de pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas independentemente de condições pré-existentes, de forma escalonada, da maior para a menor idade:

54 a 50 anos;

49 a 45 anos;

44 a 40 anos;

39 a 35 anos;

34 a 30 anos;

29 a 18 anos.

"Para a comprovação da condição de risco, as pessoas com comorbidades podem apresentar qualquer comprovante que demonstre que ela pertence a um dos grupos de risco como exames, receitas, relatórios e prescrições médicas. Os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde também podem ser utilizados", explica a gerente de imunização da Dive, Arieli Fialho.

>>> Clique aqui para conferir a tabela de distribuição de doses por municípios, a lista com a descrição das comorbidades e as orientações da SES às secretarias municipais de Saúde


30 Abril 2021 21:28:00
Autor: Por:RCN

Confira o novo decreto na íntegra

$artigoImagemTitulo

O governo do Estado de Santa Catarina editou um novo decreto com medidas restritivas nesta sexta-feira (30). A novidade é a liberação de eventos em todas as matrizes de risco, conforme regramento para cada situação.

O decreto prevê que para casas noturnas, boates, casa de shows, pubs e afins está permitido o uso do salão para a realização de eventos sociais com limite de 100 pessoas no nível gravíssimo (vermelho) e de 150 pessoas no nível grave (laranja), desde respeitado o distanciamento, entre 6h e 23h.

No caso do nível alto (amarelo), os eventos são permitidos entre 6h e meia-noite também cumprindo as regras sanitárias estabelecidas por portarias. Já no nível moderado (azul), o funcionamento é permitido em qualquer horário. 

Para eventos sociais, como casamentos, aniversários, jantares, confraternizações, bodas, formaturas, batizados, festas infantis e afins, há permissão para funcionamento das 6h às 23h nos níveis gravíssimo e grave, observados os regramentos. A mesma regra vale para congressos, palestras, seminários e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado.

O texto também estende a restrição de consumo de bebidas alcoólicas. Segundo o decreto, o fornecimento de bebidas alcoólicas com consumo no estabelecimento fica proibido nos níveis gravíssimo e grave, das 23h às 6h e, no nível alto, da meia-noite às 6h. Na madrugada, também entre 23h e 6h, fica proibido o atendimento ao público para estabelecimentos que não sejam essenciais. 

O decreto também muda o regramento para transporte coletivo e horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais.

Veja na íntegra:

DECRETA:

Art. 1º O art. 8º do Decreto nº 562, de 17 de abril de 2020, passa a vigorar com a seguinte redação: "Art. 8º Fica suspenso, em todo o território catarinense, sob regime de quarentena, nos termos do inciso II do art. 2º da Lei federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, até 30 de junho de 2021, o acesso de público a competições esportivas públicas ou privadas.

..........................................................................................." (NR)

Art. 2º O Decreto nº 1.218, de 19 de março de 2021, passa a vigorar acrescido do art. 1º-A, com a seguinte redação:

"Art. 1º-A. Ficam estabelecidas, em todo o território catarinense, de 20 de março de 2021 até 17 de maio de 2021, as seguintes medidas de enfrentamento da COVID-19:

I - para casas noturnas, boates, casa de shows, pubs e afins:

a) nos níveis de riscos potenciais gravíssimo e grave, os estabelecimentos poderão, excepcionalmente, utilizar o espaço de seu salão para a realização de eventos sociais, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 455, de 30 de abril de 2021, ou outra que a substitua, com limite de ocupação de até 100 (cem) pessoas no nível gravíssimo e de até 150 (cento e cinquenta) pessoas no nível grave, de acordo com o fator de distanciamento estabelecido na mencionada Portaria e permissão para funcionamento das 6h00 às 23h00;

b) no nível de risco potencial alto, permissão para funcionamento das 6h00 à meia-noite, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.024, de 30 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua; e

c) no nível de risco potencial moderado, permissão de funcionamento conforme horário fixado no alvará de funcionamento do estabelecimento, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.024, de 2020, ou outra que a substitua;

II - para eventos sociais (casamentos, aniversários, jantares, confraternizações, bodas, formaturas, batizados, festas infantis e afins), permissão para funcionamento das 6h00 às 23h00 nos níveis gravíssimo e grave, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 455, de 2021, ou outra que a substitua;

III - para congressos, palestras, seminários e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, e afins, permissão para funcionamento das 6h00 às 23h00 nos níveis gravíssimo e grave, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 454, de 30 de abril de 2021, ou outra que a substitua;

IV - para parques, praças, jardins botânicos, balneários, faixas de areia de praias, proibição de concentração e aglomeração de pessoas;

V - proibição de fornecimento de bebidas alcoólicas com consumo no próprio estabelecimento, nos níveis gravíssimo e grave, das 23h00 às 6h00 e, no nível alto, da meia-noite às 6h00;

VI - para o transporte coletivo urbano municipal, transporte coletivo intermunicipal e transporte coletivo interestadual, limite de ocupação de 50% (cinquenta por cento) por veículo no nível gravíssimo, 70% (setenta por cento) no nível grave e 100% (cem por cento) nos níveis alto e moderado, mantidas todas as linhas e itinerários e observados os regramentos definidos na Portaria Conjunta SIE/SES nº 22, de 11 de janeiro de 2021, ou outra que a substitua;

VII - para serviços de alimentação (cafeterias, casas de chás, casas de sucos, lanchonetes, confeitarias, sorveterias, lojas de conveniências, restaurantes, pizzarias, churrascarias, cantinas, bares e afins), observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 453, de 30 de abril de 2021, ou outra que a substitua:

a) nos níveis de riscos potenciais gravíssimo e grave, permissão de funcionamento das 6h00 às 23h00;

b) no nível de risco potencial alto, permissão de funcionamento das 6h00 à meia-noite; e

c) no nível de risco potencial moderado, permissão de funcionamento conforme horário fixado no alvará de funcionamento do estabelecimento.

VIII - permissão das seguintes atividades, com funcionamento das 6h00 às 22h00, em todos os níveis de risco:

a) academias, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 713, de 18 de setembro de 2020, ou outra que a substitua; 

b) utilização de piscinas de uso coletivo, clubes sociais e esportivos, com limite de ocupação simultânea de 50% (cinquenta por cento);

c) parques temáticos e zoológicos, com limite de ocupação simultânea de 50% (cinquenta por cento) observados os regramentos definidos na Portaria nº 391, de 5 de junho de 2020, ou outra que a substitua;

d) cinemas, teatros e circos, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.010, de 28 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua;

e) museus, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.001, de 23 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua;

f) igrejas e templos religiosos, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.002, de 23 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua;

g) áreas de uso coletivo em hotéis e similares, com limite de ocupação simultânea de 50% (cinquenta por cento), observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 1.023, de 30 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua;

h) eventos públicos na modalidade drive-in, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 90, de 29 de janeiro de 2021, ou outra que a substitua;

i) shoppings, centros comerciais, galerias e comércio de rua em geral, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 84, de 29 de janeiro de 2021, ou outra que a substitua;

j) feiras, exposições e leilões, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 999, de 23 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua, mediante análise técnica e aprovação da Secretaria de Estado da Saúde (SES);

k) parques aquáticos e complexos de águas termais, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 998, de 23 de dezembro de 2020, ou outra que a substitua; e

l) demais atividades e serviços privados não essenciais, com limite de ocupação simultânea de 50% (cinquenta por cento);

IX - proibição de atendimento ao público de qualquer estabelecimento, nos níveis gravíssimo e grave, das 23h00 às 6h00 e, no nível alto, da meia-noite às 6h00, com exceção de:

a) farmácias, hospitais e clínicas médicas;

b) serviços funerários;

c) serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro;

d) assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;

e) estabelecimentos que realizem atendimento exclusivamente na modalidade de tele-entrega;

f) postos de combustíveis;

g) estabelecimentos dedicados à alimentação ou à hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, situados em estradas e rodovias; e

h) hotéis e similares;

X- para embarcações de esporte e recreio, limitação de ocupação de 50% (cinquenta por cento) da capacidade, sendo proibido amadrinhar as embarcações, em todos os níveis de risco;

XI - funcionamento de agências bancárias, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito, observados os regramentos definidos na Portaria SES nº 86, de 29 de janeiro de 2021, ou outra que a substitua; e

XII - funcionamento de supermercados, com limite de acesso de até 2 (duas) pessoas por família e ocupação simultânea de até 50% (cinquenta por cento) da capacidade do estabelecimento, das 6h00 às 23h00, em todos os níveis de risco.

§ 1º Além das medidas de enfrentamento previstas neste artigo, fica proibida a aglomeração de pessoas em qualquer ambiente, seja interno ou externo, em cumprimento às regras sanitárias emitidas pela SES

§ 2º Todas as atividades mencionadas neste artigo deverão observar os protocolos e regramentos sanitários específicos estabelecidos pela SES.

§ 3º Ambientes públicos devem disponibilizar avisos com os regramentos aplicados ao estabelecimento." (NR)

Art. 3º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 1º de maio de 2021.

Art. 4º Fica revogado o art. 1º do Decreto nº 1.218, de 19 de março de 2021.

Florianópolis, 30 de abril de 2021



Pandemia
28 Abril 2021 13:48:00

$artigoImagemTitulo

A Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (CCJ) começa a debater esta semana projeto de lei que suspende a multa por atraso na abertura do processo de inventário de uma pessoa que morreu durante a pandemia de Covid-19. A proposta é de autoria do deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e visa amenizar o drama de milhares de famílias catarinenses.

Conforme a lei estadual Lei n° 13.136, de 2004, que trata sobre o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis (ITCMD), o processo de inventário e de partilha dos bens deixados por uma pessoa que faleceu deve ser instaurado dentro de dois meses, a contar da data do falecimento, prevendo multa de 20% sobre o valor do imposto apurado para quem não cumprir o prazo. A proposta apresentada pelo deputado suspende a contagem de tempo, anulando assim a possibilidade de multa.

A suspensão da contagem do prazo valeria enquanto durar o estado de calamidade declarado para fins de enfrentamento da pandemia de Covid-19.



Pandemia
27 Abril 2021 08:23:00

$artigoImagemTitulo

Santa Catarina atingiu nesta segunda-feira (26) a marca de 1 milhão de pessoas vacinadas contra a Covid-19 com, pelo menos, a primeira dose aplicada. O número foi alcançado com a imunização de profissionais de saúde, de segurança e salvamento, quilombolas, população indígena, idosos e deficientes institucionalizados.

Ao todo, são 1.016.508 aplicações da primeira dose, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Em relação à segunda aplicação, foram 514.209 imunizadas complemente até esta segunda em Santa Catarina. Isso resulta em um total de 1.530.717 doses aplicadas desde o início da vacinação.

Esse número representa 83,5% das 1.831.690 de doses recebidas pelo Estado do governo federal. A maioria das doses foi destinada a idosos acima de 60 anos (1.178.018), seguidos pelos profissionais de saúde (320.974), idosos e deficientes institucionalizados (15.307), população indígena (10.516), forças de segurança e salvamento (3.731), e comunidade quilombola (2.171).

As regiões com maior registro de doses aplicadas são a Grande Florianópolis (322 mil), seguida da região de Blumenau (165 mil), Joinville (133 mil), Itajaí (127 mil), Chapecó (105 mil), e Criciúma (89 mil).



Pandemia
26 Abril 2021 15:44:00
Autor: Por Governo do Estado

$artigoImagemTitulo

A fila de pacientes contaminados com Covid-19 à espera de um leito de UTI caiu para 51 nesta segunda-feira (26), segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Com o número, o Estado apresenta queda por sete dias consecutivos e redução de mais de 50% no volume de doentes aguardando vaga neste período. Neste ritmo, Santa Catarina pode zerar a fila por UTI ainda em abril.

A fila de 51 pacientes aguardando um leito disponível mostra que a situação permanece preocupante, mas melhorou nas últimas semanas. No início de março, o Estado chegou a ter mais de 400 pessoas esperando uma vaga, inclusive com registros de doentes em sofás e nos corredores de hospitais.

O Sul é a região com maior número de doentes na fila por UTI, com 23. Na sequência, estão Norte (17), Meio-Oeste (7) e Foz do Rio Itajaí (4). Serra, Grande Florianópolis, Grande Oeste e Vale do Itajaí não possuem registro de paciente em espera. Além da UTI, há 28 pessoas aguardando leitos clínicos: 27 na região Norte e uma na Grande Florianópolis. Os dados são referentes à manhã desta segunda-feira.

Fila por UTI

Santa Catarina (total): 51
Sul: 23
Norte: 17
Meio-Oeste: 7
Foz do Rio Itajaí: 4
Serra: 0
Grande Florianópolis: 0
Grande Oeste: 0
Vale do Itajaí: 0


Pandemia
26 Abril 2021 08:28:00

Grande Florianópolis, Laguna e Oeste também voltaram para a cor laranja

$artigoImagemTitulo

A Matriz de Risco Potencial divulgada neste sábado, dia 24, pelo Governo de Santa Catarina e Secretaria de Estado da Saúde (SES) aponta que houve uma melhoria de classificação em quatro das 16 regiões avaliadas.O Médio Vale do Itajai (em que Pomerode situa-se), Grande Florianópolis, Laguna e Oeste foram reclassificados para o nível grave (cor laranja). A última matriz, divulgada no dia 17, apontava todas as regiões com risco gravíssimo (cor vermelha).

Apesar da melhoria na classificação, o índice de capacidade de atenção, que mede a ocupação de leitos de UTI, segue em níveis de alerta máximo em todas as 16 regiões. Todas as regiões foram classificadas em nível gravíssimo.

Já a transmissibilidade alcançou o nível grave (laranja) em todas as regiões. Ainda no índice monitoramento a Grande Florianópolis conseguiu alcançar o nível alto (cor amarela).


Pandemia
24 Abril 2021 11:04:00

Secretaria de Estado da Saúde vem trabalhando para acelerar o ritmo de vacinação

$artigoImagemTitulo

O Governo do Estado já realizou o envio de todas as 129.750 doses de vacina contra a Covid-19 recebidas nesta sexta-feira, 23. Com agilidade, os imunizantes foram organizados e redistribuídos para as 17 centrais regionais ainda na manhã de hoje. A Secretaria de Estado da Saúde vem trabalhando para acelerar o ritmo de vacinação - em pouco mais de 20 dias, o aumento de doses aplicadas chega a 75%.

"Todos os esforços das nossas equipes do Governo do Estado são para garantir que as vacinas cheguem de forma mais célere aos municípios. Estamos trabalhando também pela busca ativa dos catarinenses que fazem parte dos grupos prioritários para que não deixem de receber o imunizante", afirmou a governadora Daniela Reinehr. Santa Catarina já aplicou 1.326.877 doses da vacina.

Os imunizantes chegaram ao aeroporto, em Florianópolis, por volta das 8h30. Depois, foram encaminhados para a Central Estadual de Rede de Frio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), em São José, para a conferência e organização da logística de distribuição.

"Precisamos manter a busca ativa da nossa população para a aplicação da segunda dose, não podemos deixar que as pessoas dos grupos prioritários fiquem sem o esquema vacinal completo. Lembrando sempre que os cuidados individuais devem continuar, somente com a união de todos é que vamos vencer essa pandemia", afirma a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto.


Influenza
22 Abril 2021 16:19:00

Público-alvo dessa fase é composto por gestantes, puérperas, crianças de seis meses a menos de seis anos e profissionais da saúde

$artigoImagemTitulo

Iniciou no dia 12 de abril a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe influenza. A previsão é de que a campanha seja realizada em três etapas e termine em 9 de julho, tendo vacinado cerca de 80 milhões de pessoas em todo o Brasil.

Os grupos prioritários são definidos segundo critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS) e nessa primeira etapa, que segue até 10 de maio, serão contempladas crianças com idade entre seis meses e seis anos; gestantes, mulheres no período até 45 dias após o parto (puérperas) e trabalhadores da saúde.

Segundo a técnica de enfermagem da Vigilância Epidemiológica de Pomerode, Simone Steffens da Silva, a meta é vacinar pelo menos 90% do público-alvo, em Pomerode esses grupos somam em torno de 7.500 pessoas.

No entanto, apenas 13% dos grupos prioritários na primeira etapa (gestantes, crianças e puérperas) procuraram pela dose na primeira semana da campanha em Pomerode. Já a vacinação para trabalhadores de saúde iniciou esta semana. "Precisamos que a população se conscientize da importância da vacinação, principalmente diante do atual cenário em saúde que estamos vivendo", alerta Simone.

Ela explica que a influenza é uma infecção respiratória de alta transmissibilidade, podendo também levar a epidemias e pandemias. "Os casos de influenza podem variar de formas leves a formas graves e inclusive levar ao óbito. Devido à pandemia de Covid-19, estamos com nossos serviços de saúde saturados e a vacinação contra a Influenza tem o principal objetivo de reduzir a carga da doença, prevenindo hospitalizações, mortes e consultas ambulatoriais e em serviços de emergência".

Na cidade a vacinação ocorre de forma descentralizada, ou seja, cada um deve buscar a imunização na Unidade de Saúde do seu bairro, das 7h às 11h45min e das 13h às 15h45min, de segunda a sexta.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, estão inclusos nessa fase os povos indígenas.

Etapas

Segundo o Ministério da Saúde, a primeira etapa abrange cerca de 25 milhões de pessoas em todo o país. A segunda será entre os dias 11 de maio e 8 de junho tendo como público-alvo idosos com mais de 60 anos e professores. Nela, cerca de 33 milhões de pessoas deverão ser imunizadas.

A terceira fase, entre 9 de junho e 9 de julho, abrangerá cerca de 22 milhões de pessoas. Compõem esse público-alvo integrantes das Forças Armadas, de segurança e de salvamento; pessoas com comorbidades, condições clínicas especiais ou com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário; trabalhadores portuários; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade; e adolescentes em medidas socioeducativas.

Medidas preventivas

A orientação é de que além de se vacinar, a população adote algumas medidas protetivas contra a influenza que são similares às que protegem contra o novo coronavírus: lavar e higienizar as mãos com frequência, em especial após tossir ou espirrar; utilizar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados; e evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripes.





Endereço: Avenida 21 de Janeiro, 1845, Centro - Pomerode SC
Fone: (47) 3387-6420 | Whatsapp: (47) 99227-2173 | jornalismo@testonoticias.com.br
Sobre o jornal | Facebook | Instagram | YouTube