Oportunidade
17 Maio 2021 15:40:00

Fórum da Comarca de Pomerode tem vagas para estudantes de vários cursos de graduação

$artigoImagemTitulo

O Fórum da Comarca de Pomerode informa que estão abertas, permanentemente, as inscrições para o seu programa de estágio, algumas com preenchimento imediato. Os estudantes dos cursos de graduação em Direito, Administração, Ciências Contábeis, Economia e Serviço Social, da segunda à penúltima fase, podem se candidatar.

As inscrições podem ser feitas através do link https://www.tjsc.jus.br/web/servidor/estagio-ensino-superior. Durante o cadastro, o candidato deverá anexar o histórico escolar, emitido pela instituição de ensino e que apresente obrigatoriamente a carga horária total do curso, o total de horas já cursadas pelo aluno, o índice acadêmico (média) e a fase em que o aluno estuda atualmente.

Os alunos contemplados com o estágio terão uma carga horária de 20 horas semanais, no período vespertino, e receberão uma bolsa no valor de R$850,00, acrescido de auxílio transporte no valor de R$150,00.

Informações complementares podem ser obtidas pelo telefone (47) 3217-8812.



Educação
27 Abril 2021 17:48:00
Autor: Por: Rede Catarinense de Notícias

$artigoImagemTitulo

A Assembleia Legislativa de SC (Alesc) criou oficialmente na semana passada a comissão mista que vai propor mudanças ao plano de carreira do magistério estadual. O grupo aguarda, no entanto, o fim do processo de impeachment contra o governador afastado Carlos Moisés da Silva para acelerar os trabalhos.

A comissão é formada pela deputada Luciane Carminatti (PT), que propôs a criação do colegiado, e de Vicente Caropreso (PSDB), Fernando Krelling (MDB), Ana Campagnolo (PSL), Jerry Comper (MDB), Fabiano da Luz (PT) e Sargento Lima (PL). Eles representam as comissões de Educação, de Finanças e de Trabalho, Administração e Serviço Público da Casa.

"Nós estamos aguardando a definição do impeachment para que a gente possa ter uma conversa definitiva com o governo envolvendo o secretário da pasta. Mesmo que ele não mude, mas o olhar do governador ou da governadora no nosso entendimento é importante. Estamos aguardando, mas não nos impede de iniciar a discussão", disse Carminatti.

Segundo ela, o objetivo é apresentar uma proposta ao Executivo em até 60 dias. Para isso, o colegiado vai convidar economistas, juristas, legisladores, e a representação dos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE), entre outros. "Nossa perspectiva é somar leituras e análises e propor alternativas para a carreira do magistério a partir do ano que vem", disse a deputada.

O prazo é necessário já que o Estado aceitou o repasse de recursos federais como ajuda durante a pandemia. A União exigiu que, se aceito o repasse, o ente federado não pode conceder aumentos salarias ou de benefícios até 31 de dezembro de 2021. Aprovar agora com vigência a partir de janeiro é uma das opções, que deve ser usada também para a reposição salarial de policiais militares.

"Desde 2015 nós não temos avanços do plano de carreira do magistério estadual E mais precisamente a partir de 2018 nós temos congelamento do salário dos trabalhadores em educação. O vale alimentação também está congelado, há 10 anos. Além disso, o plano estagnou a esperança por progressão de cargos", justificou a deputada.

A parlamentar aponta para o contraste entre o recorde de arrecadação do governo do Estado e a baixa valorização dos profissionais da área. A educação tem previsto na Constituição Estadual o mínimo de 25% da receita disponível, o que garantiria a oferta de recursos. "Se nós olharmos até agora [em 2021], a tendência é de não chegar aos 25% [no final do ano]. Aumenta a arrecadação, não consegue cumprir os 25%, e na outra ponta tem a carreira achatada", afirmou.

A Alesc não tem prerrogativa para propor uma alteração no plano de carreira, mas deve sugerir um anteprojeto de lei ao Executivo para que ele o encaminhe ao Parlamento. A discussão principal deve ocorrer em relação ao trabalhadores efetivos, mas devem surgir novas propostas para contemplar também os Admitidos em Caráter Temporário (ACTs).



Educação
01 Abril 2021 13:46:00

No aniversário de 199 anos do naturalista, parlamentar defende que sua história seja incluída na grade curricular de ensino

$artigoImagemTitulo

O Parlamento catarinense aprovou indicação do deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) solicitando que conteúdos sobre a vida e a obra do professor, pesquisador, médico e naturalista Fritz Müller sejam incluídos na grade curricular obrigatória da rede educacional catarinense. A aprovação da matéria ocorreu nesta quarta-feira (31), dia em que se comemora 199 anos do alemão naturalizado brasileiro, ícone da história do município de Blumenau e da ciência brasileira.

Johann Friedrich Theodor Müller (1822-1897), que ficou mais conhecido como Fritz Müller, chegou ao Brasil em 1852, na primeira leva de alemães que veio ao Brasil construir uma nova vida na então Colônia Blumenau.

Em 1865, quando era professor em Desterro, hoje Florianópolis, ele passou a trocar cartas com o cientista britânico Charles Darwin, auxiliando assim na consolidação de um dos principais estudos da humanidade: a Teoria da Evolução das Espécies. Ele deixou um gigantesco legado naturalístico, tanto da flora como da fauna da região Sul do Brasil.

"O conhecimento que produziu ultrapassou fronteiras. Colocou o nosso país no mapa-múndi da ciência. Charles Darwin lhe deu a alcunha de "Príncipe dos Observadores" e imortalizou seus estudos ao citá-lo 17 vezes quando reeditou seu livro "A Origem das Espécies por meio da Seleção Natural", afirmou Dr. Vicente ao destacar a vida do cientista no plenário da Assembleia Legislativa.

Mesmo tendo deixado um legado que é exaltado pela comunidade científica no Brasil e no exterior, os feitos de Fritz Müller são desconhecidos por grande parte dos catarinenses, lamentou o deputado.

"Queremos que o culto a Fritz Müller alcance todo o Estado, toque a mente e a alma de mais e mais pessoas. Por isso apresentei esss indicação, que é respaldada pelas várias entidades que compõem o Grupo Desterro Fritz Müller/Charles Darwin, para que sua vida e obra estejam ao acesso dos nosso estudantes. Queremos que a história de Fritz Müller e seu legado científico inspirem as atuais e futuras gerações a irem mais longe, se desafiarem na grande jornada pelo conhecimento".



Educação
29 Março 2021 13:43:00
Autor: Por: Agência Brasil

Resultados vão ser disponibilizados a partir das 18h

$artigoImagemTitulo

As notas finais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, versão impressa e digital, serão disponibilizadas nesta segunda-feira (29), a partir das 18h (horário de Brasília). Os participantes poderão conferir os resultados individuais das provas na Página do Participante ou no aplicativo do exame.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão realizador da prova, também estarão disponíveis as notas dos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio para adultos privados de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL).

Para ter acesso às notas, os participantes devem utilizar o login único do governo federal. Caso o aluno tenha esquecido a senha, o sistema permite recuperá-la. Basta inserir o CPF no campo indicado, selecionar avançar e clicar no link "Esqueci minha senha". O sistema apresentará diversas formas para recuperar a conta (validação facial, bancos credenciados, internet banking, e-mail e celular), escolha uma das opções para receber o código de verificação e, em seguida, gere uma nova senha.

Além do resultado da redação, que varia de zero a mil, os participantes poderão conferir as notas individuais, referentes às provas das quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias.

As notas individuais do Enem podem ser usadas para acesso à educação superior, no Brasil e em instituições de Portugal, e em programas governamentais de financiamento e apoio ao estudante, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Os participantes podem ter mais informações sobre os programas que permitem o ingresso na educação superior no portal do Ministério da Educação. Entre os programas estão o

O resultado do Enem 2020 impresso, para fins exclusivos de autoavaliação de conhecimentos do participante treineiro, será divulgado no dia 28 de maio de 2021, na Página do Participante e no aplicativo do exame.

Notas finais

O Enem é corrigido com base na chamada teoria de resposta ao item (TRI), que leva em consideração, entre outros fatores, a coerência de cada estudante na própria prova.

Ou seja, se ele acertar questões difíceis, é esperado que acerte também as fáceis. Se isso não acontecer, o sistema entende que pode ter sido por chute. O estudante, então, pontua menos que outro candidato que tenha acertado as mesmas questões difíceis, mas que tenha acertado também as fáceis.

A redação tem esquema diferenciado de correção. Cada uma passa por, pelo menos, dois corretores. O tema da redação na reaplicação do Enem foi "A falta de empatia nas relações sociais no Brasil".



Inovador
12 Março 2021 10:34:00
Autor: Por Redação TN

Escola Erwin Curt oferece aulas ao vivo enquanto professor trabalha de forma remota

$artigoImagemTitulo

A pandemia fez com que diversas áreas enxergassem a possibilidade de trabalhar remotamente e, em algumas situações, até se torna mais produtivo. Em outros casos, como as aulas, o home office foi uma solução momentânea, não permanente. Por isso, as escolas de redes municipais, estaduais e privadas já encontraram formas de retomar as aulas presenciais. No entanto, há pessoas que são mais vulneráveis à Covid-19, os chamados de grupo de risco, e, devido a esse motivo, a recomendação é de que não voltem para o trabalho e/ou ensino presencial.

Diante disso, vemos muitos pais que não se sentem confortáveis em mandar os filhos para as escolas e acabam os deixando em casa, estudando de forma remota. Mas, como proceder quando um professor não pode retornar ao ensino presencial? Foi esse o questionamento feito pela diretora da Escola Erwin Curt Teichmann, Agnes Orzechowski, ao receber a informação de que o professor de Filosofia, Everaldo Alves, não poderia lecionar presencialmente, pois possui comorbidades. "Nós tínhamos um problema que era como fazer com que ele tivesse interação com os alunos. Existiam várias possibilidades, ele poderia gravar vídeo, passar as atividades pela plataforma ou então fazer uma videoconferência", explica.

A terceira opção surgiu a partir de uma escola estadual localizada em Gaspar, em que a diretora teve a ideia de realizar uma videoconferência entre o professor, que estava em casa, e os alunos, que estavam dentro das salas de aula. Ela decidiu compartilhar em um grupo composto pelos diretores da região. Em conversa, Agnes achou a ideia possível e decidiu implementar na Erwin Curt como teste para ver se funcionaria.

Com a solução encontrada, a diretora entrou em contato com o professor e ele aceitou o desafio de preparar uma aula e fazer a primeira vídeochamada utilizando a plataforma do Google Meet. "Penso que diante de toda problemática que envolve a Covid-19, como sou do grupo de risco, vi uma solução para as aulas serem mais participativas e dinâmicas", reflete o professor.

No entanto, para funcionar, é necessário que alguém esteja dentro da sala de aula para acessar o site e fazer a conexão. Segundo Everaldo, o processo só foi possível "porque a diretora Agnes tem uma gestão que considera muito os professores e que possibilitou essa prática". Para ele, tudo ocorreu bem graças à disposição dos envolvidos. "Ou seja, empenho e dedicação de todos os envolvidos: professor, diretora e alunos", completa.

Com a nova maneira de ensinar, é possível continuar com a interação entre professor e aluno assim como ocorre na forma presencial, diferente de uma aula gravada, em que não há conversa e diálogo entre as duas partes envolvidas. "É claro que no primeiro momento os estudantes ficaram um pouco assustados por estarem diante de algo totalmente diferente do que estão acostumados, mas no fim a experiência é classificada por eles como muito boa", contextualiza a diretora.


Agnes Orze /

Além disso, outro ponto positivo dessa forma de ensino é a possibilidade de tirar dúvidas logo que elas surgem. "Na grande maioria, os alunos dizem que preferem as aulas ao vivo porque, caso tenham dúvidas, têm como perguntar", completa Agnes. Para o professor, eles parecem se sentir mais acolhidos. "Eu percebi que logo de início eles entraram no novo formato e que gostaram pelo fato do professor estar ali 'presente'."

Dentre os desafios enfrentados, a diretora pontua a falta de recursos e questões tecnológicas, como ter o áudio afetado. Além disso, outra dificuldade surge caso a internet caia, como já ocorreu uma vez. "São desafios que temos que pensar em como superar, mas de todas as aulas que tivemos somente uma precisou ser reagendada, todas as outras aconteceram de forma muito organizada e produtiva."

Já para o professor, o maior empecilho tem sido a distância física. "Lidar com tecnologias e ao mesmo tempo estar em sintonia com os estudantes é um desafio constante", comenta. Além disso, para ele, o processo de ensino e aprendizagem acaba ficando um pouco comprometido, pois não está sendo possível realizar trabalhos em grupo, fazer dinâmicas e outras atividades. "Em contrapartida, eu aprendo também com os alunos que participam e colaboram nessa nova dinâmica de conduzir as aulas."

A experiência é uma novidade tanto para os alunos, quanto para o professor, que teve que se aprofundar e aprender sobre esse novo mundo. "Não sou blogueiro, nem conhecedor profundo de técnicas e meios tecnológicos. Faço questão de deixar bem claro para os estudantes que às vezes me atrapalho usando as tecnologias, que estou na minha casa e tem os barulhos próprios do prédio, mas que o mais importante é aprendermos juntos", explica. Em relação a isso, Everaldo relembra de um momento em que o áudio estava com problemas e um dos alunos o explicou um jeito de usar o microfone que daria mais qualidade. "Estou aprendendo e ensinando constantemente! Ver soluções e não só problemas", completa.

Mesmo diante de empecilhos, o professor, juntamente com a diretora e toda escola, encontram soluções diariamente para as pedras com que se deparam no caminho. "A tecnologia precisa ser usada a nosso favor. A forma como nós estamos utilizando a vídeochamada é uma das ferramentas que esse momento diferente na educação nos proporcionou. Agora, existem muitos outros desafios que as escolas de modo geral terão que aprender a se moldar e a se organizar de uma forma diferente para que o aluno tenha uma aprendizagem significativa", finaliza a diretora.


09 Março 2021 08:31:00
Autor: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC

Determinação judicial intervém em caso de criança que passaria a receber apenas ensino domiciliar ministrado pela própria mãe

$artigoImagemTitulo

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve uma determinação judicial para que um casal de Pomerode matriculasse o filho em idade escolar na rede de ensino regular. Na ação, o Ministério Público sustentou que o ensino domiciliar - o chamado homeschooling - não tem amparo legal e contraria a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF).

Apesar de advertências dadas pela Secretaria de Educação, pelo Conselho Tutelar de Pomerode - que aplicou medida de proteção determinando a matrícula do menor na rede regular de ensino - e pelo Ministério Público, os pais insistiram em manter em casa o filho em idade escolar, tendo o ensino ministrado pelos pais.

Por tal razão, foi necessário o ajuizamento de uma ação com pedido liminar pela 1ª Promotoria de Justiça de Pomerode, destacando-se que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a Constituição Federal e a jurisprudência do STF exigem a matrícula das crianças e adolescentes em idade escolar em instituição da rede regular de ensino.

O ECA prevê, em seu artigo 55, que "os pais ou responsável têm a obrigação de matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino". Já a Constituição estabelece que é dever do Estado, da sociedade e da família assegurar às crianças, adolescentes e jovens, entre outros direitos absolutos, o direito à educação. O STF, por sua vez, já decidiu, em ação com repercussão geral, que a modalidade de ensino domiciliar não existe na legislação brasileira e, portanto, não pode substituir a educação regular.

Diante dos fatos, a liminar foi concedida pelo Juízo da 1ª vara da Comarca de Pomerode nos termos requeridos pelo Ministério Público, determinando a imediata matrícula da criança no ensino regular, sob pena de multa diária de R$ 100,00 em caso de descumprimento.

Ainda assim, os pais descumpriram a decisão e insistiram em manter o filho longe da escola, levando o Ministério Público a requerer, então, a aplicação da multa prevista. Após sete dias de descumprimento da ordem judicial, os pais fizeram a matrícula do menor, pagaram a multa e requereram o arquivamento da ação, o que foi deferido pelo juízo.



Educação
03 Março 2021 16:30:00

$artigoImagemTitulo

Na manhã desta terça-feira (03/03), o prefeito Ércio Kriek recebeu em seu gabinete a estudante de Direito Júlia Amanda Romig, Presidente da ASSEUP (Associação dos Estudantes Universitários de Pomerode). O objetivo do encontro foi a assinatura de um Termo de Colaboração de R$200mil, celebrado entre o município de Pomerode e ASSEUP, a fim de oferecer auxilio financeiro para o transporte universitário aos estudantes de nossa cidade.


Pandemia
03 Março 2021 15:55:00
Autor: Por Governo do Estado

$artigoImagemTitulo
Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), as aulas presenciais não devem ser suspensas antes do fechamento de atividades consideradas não essenciais. Isso porque há uma lei estadual, publicada no final do ano passado, que torna a educação atividade essencial, portanto, deve ser uma das últimas a fechar em caso de medidas restritivas contra a Covid-19.
"Há evidente incoerência de, num mesmo contexto sanitário, o ente municipal autorizar que atividades não essenciais, mais propensas à propagação do vírus, permaneçam em funcionamento, ainda que regradas ou limitadas, enquanto as aulas permanecem totalmente suspensas", disse o promotor de Justiça João Luiz de Carvalho Botega.
Segundo ele, o Ministério Público não pretende obrigar o retorno ou a manutenção das atividades escolares presenciais em qualquer hipótese, mas sim realizar o controle jurídico das medidas de enfrentamento à pandemia.
O entendimento é de que antes de qualquer medida no sentido de suspender as aulas presenciais para contenção da pandemia, é preciso suspender as atividades consideradas não essenciais.
A medida vai na contramão do que fez Florianópolis, por exemplo. A Prefeitura da Capital anunciou nesta quarta-feira (3) que adiou o retorno presencial dos alunos e manterá as atividades virtuais na rede municipal até 24 de março. O objetivo é reduzir a circulação de pessoas nas ruas e no transporte coletivo para combater a Covid-19.
"O fechamento das escolas, por si só, sem que outras restrições de mesma ordem sejam estabelecidas, dificilmente impactará na transmissão comunitária do vírus", acrescenta Botega.


Esforço
26 Fevereiro 2021 15:14:00

Aluno da EEB Presidente Prudente de Morais, de Pomerode, teve nota máxima no terceiro ano do Ensino Médio

$artigoImagemTitulo

O jovem Felipe Georg, de 17 anos, encerrou o terceiro ano do Ensino Médio, cursado na Escola de Educação Básica Presidente Prudente de Morais em 2020, com a impressionante média geral 10. A conquista lhe rendeu até mesmo um prêmio oferecido por uma empresa de Pomerode, mas, muito além disso, significou o sucesso do planejamento feito por ele durante os anos que antecederam a conclusão dessa etapa educacional.

Felipe conta que sempre teve grandes expectativas com relação ao quanto gostaria de alcançar durante o Ensino Médio. "O fato de ter tirado 10 reforça o comprometimento que tive com meus objetivos", afirma.

O jovem se esforçou para ter ótimas notas desde a primeira série e consolidou a conquista de forma gradativa, com um foco total para o último ano. Sua rotina de estudos consistia em uma organização de atividades semanais e também diárias. "Pela questão de meu tempo limitado, pois trabalhava na parte da tarde, tinha de ser um tanto rigoroso quanto ao prazo das atividades."

Com um 2020 totalmente atípico, já que as aulas foram quase integralmente oferecidas na modalidade remota, ele sentiu falta principalmente da interação com os professores e colegas, mas compensou com a disciplina. "Por um lado, ficar em casa oferece mais liberdade para administrar e controlar o tempo, todavia perde-se a interação e a dinâmica das aulas, tendo que organizar um cronograma muito mais rígido em torno do aproveitamento de conteúdos", pondera.

Atualmente o jovem atua na área contábil, no Grupo Kyly, empresa em que também iniciou sua trajetória profissional há dois anos, como Jovem Aprendiz. As Ciências Contábeis estão entre as possibilidades de futuro profissional cogitadas por ele. Mas Felipe ainda avalia se seguirá por esse rumo ou se trilhará um caminho completamente oposto. "Literalmente entre oito e 80, indo de Ciências Contábeis à Medicina." Felipe realizou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Como todo jovem de atitude e cheio de energia, os planos para o futuro incluem outros objetivos além da área profissional, e dentre eles estão viajar, conhecer outros idiomas e muito mais. 


Pandemia
25 Fevereiro 2021 17:52:00

Orientação foi encaminhada pela Fundação Catarinense de Educação Especial

$artigoImagemTitulo

A Apae Pomerode informou na tarde dessa quinta-feira, dia 25, que suspenderá suas atividades por conta do aumento no número de casos de Covid-19. A orientação partiu da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE). Leia o que diz o documento enviado às Apaes:

Considerando a gravidade do aumento de casos de Covid 19, o cenário crítico de algumas regiões de nosso estado, o Presidente da Fundação Catarinense de Educação Especial Rubens Feijó determina que os servidores pertencentes ao quadro da FCEE, realizem suas atividades de forma remota no período de 1/3/21 a 12/3/21.

Da mesma forma recomenda a suspensão dos atendimentos presenciais das instituições parceiras neste período.

Sabendo que todo planejamento e execução de atendimento vem ocorrendo dentro das medidas sanitárias seguras, mas diante da fragilidade da saúde de nossos educandos essa ação visa prevenir a manutenção da saúde de todos.



Educação
17 Fevereiro 2021 08:55:00

$artigoImagemTitulo

O gasto médio dos pais ou responsáveis com a compra de material escolar para o início do ano letivo deve registrar um recuo de 21%, segundo uma pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC) divulgada nesta terça-feira (16). O valor apurado passou de R$ 325,61, em 2020, para R$ 257,31, em 2021.

O estudo também mostra disparidade na intenção de gasto com material escolar. Cerca de 30% devem desembolsar acima de R$ 300 para este ano letivo, enquanto 41,4% afirmam que não passará de R$ 200.

A maior parte dos entrevistados (77,1%) afirmou que vai comprar material escolar, sendo que 43,3% comprarão todos os itens e 33,8% comprarão apenas uma parte do que foi pedido. Já 13% não farão compras pois vão reutilizar os produtos adquiridos no ano passado.

A reutilização de produtos está nos planos de 31,2% dos pais ou responsáveis. Mas o reuso não se restringe ao material escolar: entre aqueles que têm filhos matriculados em escolas que exigem uniforme, a maioria afirmou que não comprará novas peças e utilizará aquelas já compradas.

Para quem vai às compras do material, a preferência é por concentrar tudo em um único estabelecimento (45%). Neste sentido, as lojas de rua saem na frente (61,1% das intenções), apesar da queda de participação em relação ao ano passado, quando atingiu 91,2%. Na sequência estão supermercados (14%), lojas de departamentos (11,9%) e os indecisos (5,6%).

Como forma de pagamento, o dinheiro à vista lidera (45,8%), seguido de cartão de débito à vista (22,3%), de cartão de crédito à vista (18,2%), e de cartão de crédito a prazo (10,2%).

A pesquisa foi realizada entre 19 de janeiro e 3 de fevereiro com 1.126 consumidores de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages.


Educação
15 Fevereiro 2021 16:21:00

$artigoImagemTitulo

Depois de quase um ano sem aulas presenciais com os alunos nas escolas públicas catarinenses, o dia de 18 de fevereiro de 2021 vai marcar o retorno de estudantes às unidades da rede estadual de ensino. Novas regras de convívio para prevenção da Covid-19 foram estabelecidas e o ensino remoto continuará sendo uma opção para os pais que preferirem manter os filhos em casa.

É o caso da dona de casa Micheline Dias de Aguiar, moradora de Palhoça, na região da Grande Florianópolis. Ela ainda não pretende mandar o pequeno Gabriel para frequentar as aulas presenciais do segundo ano do Ensino Fundamental. "A fase mais difícil, que, na minha opinião, é a alfabetização, já foi comigo em casa. Agora acredito que será mais tranquilo no segundo ano. Ele vai estudar em casa", afirma a mãe.

O que pesou na decisão de Micheline foi o fato de Gabriel ter bronquite asmática. Ela conta que, desde pequeno, o menino apresenta crises graves e, por isso, ela não se sente segura. Além dele, outras pessoas da família também apresentam fatores de risco para a Covid-19. "O coronavírus é uma doença perigosa e já que eu tenho a oportunidade de ficar em casa, não tem por que arriscar. A parceria dos professores e da direção da escola é ótima e com a gente, o modelo de ensino remoto funcionou", avalia a mãe.

"A gente precisa da escola", diz mãe que optou por mandar os filhos presencialmente

Em Biguaçu, na Grande Florianópolis, Ana Paula Espíndola, mãe de Pedro (9° ano) e Emanuel (3° ano), relata que a decisão sobre o retorno para a escola também foi permeada por dúvidas e análises envolvendo toda a família. "Em 2020, ficamos muito apreensivos e, agora em 2021, decidimos que o medo não vai nos vencer. Optamos por tocar a nossa vida, tomando todos os cuidados. A vida precisa voltar ao normal e a gente precisa da escola", explica.

Ana conta que sofreu ao acompanhar as dificuldades que os filhos enfrentaram com as aulas on-line. Apesar de conseguirem entregar todas as atividades e receberem o apoio dos professores, a mãe diz que não foi fácil se adaptar ao novo modelo, em casa. "Eles sentem muita falta disso aqui, da escola, da sala de aula, do contato com os amigos. Estou muito feliz que eles poderão retornar à escola. Para todos nós da família, isso serve também para renovar a esperança de que nossa rotina vai voltar ao normal, com todos os cuidados", comemora.

Para o retorno dos filhos à escola, a mãe afirma que será ainda mais rigorosa com os protocolos sanitários de prevenção ao novo coronavírus.

Expectativa para o retorno presencial

O retorno às salas de aula também é bastante aguardado por professores como o Luiz Donizete Antunes. Ele dá aula de Geografia para alunos dos anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio e conta que a distância do ambiente escolar, por causa da pandemia, foi um momento desafiador. "Não foi difícil me adaptar às ferramentas do ensino remoto, porque eu já dominava bem a tecnologia, mas minha angústia era saber se todos os meus alunos conseguiriam aprender como deveriam", desabafa o professor.

Para Antunes, o retorno às salas de aula neste ano ainda vai exigir adaptações. "Eles precisam entender que ainda será diferente, que tem de respeitar as regras e cuidar da saúde. Mas é muito importante que eles não desistam e, juntos, possamos superar esse momento, entregando o que temos de melhor para que tudo volte ao normal em breve", aposta.

Rede estadual de ensino está preparada para retorno seguro das atividades presenciais

Para atender pais e alunos tanto do ensino presencial, quanto do remoto, as escolas da rede estadual de ensino passaram por uma série de adaptações e reforços dos protocolos de prevenção à Covid-19. As atividades serão desenvolvidas em modalidades 100% presencial, misto e 100% remoto.

O maior número de alunos terá aulas no modelo misto, com alternância dos grupos que frequentam a escola e dividido em dois momentos: o "Tempo Escola", que consiste no atendimento presencial na unidade escolar com turmas subdivididas em grupos, e no "Tempo Casa", que consiste em atividades na plataforma digital Google Classroom ou por meio da retirada das atividades impressas.

"Estamos trabalhando para garantir uma retomada presencial segura e democrática, baseada em três pilares: estrutura física, de pessoal e equipamentos de proteção individual. Se em alguma escola essas três condições não forem atendidas, naquela unidade o retorno será no modelo remoto", explica o secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro. Para isso, o secretário informa a ampliação do 0800 644 7890, que funcionará das 7h até 19h, um canal aberto com a comunidade escolar para sanar os possíveis problemas.

Investimentos

Desde 2020, os investimentos na compra de EPIs para a rede estadual chegam a R$ 8 milhões. Os materiais que estão sendo entregues às escolas incluem um milhão de máscaras, álcool em gel, incluindo 23 mil dispensers e quatro mil tótens para distribuição, 3,5 mil termômetros digitais infravermelhos e 22 mil protetores faciais (face shield).

As normativas que estabelecem o regramento do retorno das aulas presenciais estão previstos na lei nº 18.032/2020, aprovada pela Alesc e que reconhece a educação como serviço essencial no Estado, pelo decreto nº 1.003/2020 e pela portaria 983/2020.

Esses regramentos têm como base o Plano de Contingência para Educação (PlanCon), que foi apresentado à sociedade ainda em setembro. O documento detalha em oito cadernos os protocolos necessários para o retorno seguro às escolas e foi construído em conjunto com 15 entidades, incluindo o Ministério Público e duas comissões da Alesc, complementado pelo Comitê Técnico-Científico da Defesa Civil.

É de responsabilidade da Vigilância Sanitária Municipal, Vigilância Sanitária Estadual, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina, fiscalizar os estabelecimentos com o objetivo de garantir o cumprimento das medidas sanitárias exigidas.

Internet gratuita para alunos e professores acessarem atividades remotas

Os alunos e professores da rede estadual também terão internet cedida pelo Governo do Estado para acessar as ferramentas educacionais utilizadas no ensino remoto, como a plataforma "Google for Education". O contrato assinado com as operadoras de telefonia para adquirir pacotes de dados para acesso à internet pelo celular pode chegar a R$ 900 mil por mês e beneficia mais de 550 mil usuários.


Educação
11 Fevereiro 2021 17:40:00

$artigoImagemTitulo

Alunos e professores de escolas estaduais poderão estudar e planejar as atividades do modelo remoto com internet cedida pelo Governo do Estado a partir do início do ano letivo, marcado para 18 de fevereiro. O anúncio foi feito pela Secretaria de Estado da Educação (SED), nesta quinta-feira, 11, no Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis.

"Estamos comprometidos em garantir um retorno seguro às aulas. Nós entendemos que a escola tem que ser a extensão da família e precisa estar engajada nesse processo de cuidado. Com a internet, damos mais um passo para garantir que todos tenham acesso ao conteúdo cada vez mais inovador, seja em casa ou em sala de aula. Estamos aqui para apoiar o aprendizado desses estudantes e o trabalho dos professores, ainda mais essencial neste momento", reforça o governador Carlos Moisés.

O investimento do Governo do Estado para adquirir pacotes de dados para acesso à internet pelo celular pode chegar a R$ 900 mil por mês. A iniciativa beneficia mais de 550 mil usuários, incluindo todos os professores e alunos da rede estadual, que poderão em algum momento estar inseridos no modelo de ensino misto ou 100% remoto.

"A possibilidade de usar a internet de forma gratuita para acessar as atividades remotas irá democratizar a volta às aulas em Santa Catarina. Como sabemos que no dia 18 não retornarão todos os alunos para o presencial, considerando que também temos os modelos de ensino misto e remoto, a internet patrocinada será uma importante ferramenta para a qualidade da educação catarinense neste ano", destaca o secretário da Educação, Luiz Fernando Vampiro.

Com o contrato assinado com as operadoras de telefonia, será possível acessar de forma gratuita as ferramentas do "Google for Education", incluindo o Google Sala de Aula e as plataformas de atividades, formulários, produção de textos, entre outras. Também será liberado o acesso gratuito ao Professor e Estudante On-line e ao site da SED.

"A educação na rede estadual é feita por todos, temos uma rede engajada de profissionais em todas as regiões e estamos investindo na formação e qualificação do nosso quadro de pessoal tanto no âmbito pedagógico quanto no que diz respeito às diretrizes do Plano de Contingência da Educação (PlanConEdu)", reforça o secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Educação, Vitor Balthazar.


Julio Cavalheiro / Secom/

Para ter o acesso gratuito às ferramentas educacionais, o aluno ou professor deve fazer o download no celular de um aplicativo que será disponibilizado nos próximos dias para a rede. Ao abrir o aplicativo, o usuário deve preencher os dados de login ao Estudante ou Professor On-line e poderá conectar-se gratuitamente com os links que estarão disponíveis na página.

Apresentação dos protocolos para a retomada das aulas

Nesta quinta-feira também foram apresentados como serão os protocolos adotados pelas escolas da rede estadual para a retomada das atividades em 18 de fevereiro. Houve medição de temperatura de todos na entrada da unidade, disponibilização de álcool em gel em totens e dispensers pela escola, uso obrigatório de máscara e distanciamento social na sala de aula.

O retorno às aulas na rede estadual está previsto em três modelos, que podem coincidir. Para as turmas em que é possível receber todos os alunos e manter o distanciamento entre as carteiras, o retorno será 100% presencial. Na maioria dos casos, as turmas serão divididas em subgrupos que alternam entre atividades presenciais e remotas no regime híbrido. E para alunos e professores do grupo de risco, ou estudantes cujos pais optarem por manter o filho em casa, haverá a continuidade do modelo 100% remoto.

"Estamos garantindo uma retomada presencial segura, baseada em três pilares: estrutura física, de pessoal e equipamentos de proteção individual. Se em alguma escola essas três condições não forem atendidas, naquela unidade o retorno será no modelo remoto. Por isso a ampliação do 0800 644 7890, que funcionará das 7h até 19h, um canal aberto com a comunidade escolar para que possamos ter uma solução rápida para sanar os possíveis problemas", explicou Luiz Fernando Vampiro.

Para garantir a segurança do retorno presencial, a SED investiu mais de R$ 8 milhões em máscaras, termômetros digitais e álcool em gel, além de totens e dispensers, que já foram entregues às escolas. As medidas para o retorno estão estabelecidas no decreto 1003/2020 e na portaria 983/2020, que tem como base o Plano de Contingência para a Educação, documento construído em conjunto por mais de 15 entidades e que detalha os protocolos para a retomada das atividades presenciais.


Educação
10 Fevereiro 2021 09:02:00
Autor: Por Governo do Estado

$artigoImagemTitulo

As escolas da rede estadual de Santa Catarina estão recebendo equipamentos de proteção individual (EPIs) para o retorno seguro das atividades presenciais no dia 18 de fevereiro. Desde 2020, os investimentos feitos pela Secretaria de Estado da Educação (SED) passam de R$ 8 milhões, incluindo a compra de 1 milhão de máscaras, 42 mil frascos de álcool em gel, 23 mil dispensers, 4 mil totens, 3,5 mil termômetros digitais infravermelhos e 14 mil protetores faciais.

Também foram adquiridos 98 mil litros de água sanitária, sendo que 97 mil já foram distribuídos às escolas. Além disso, cinco mil galões de cinco litros de sabonete líquido foram entregues e mais 2,4 mil serão encaminhados às escolas.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Defesa Civil também realizaram doações para a SED, totalizando 2 milhões de máscaras, 28 mil pares de luvas descartáveis e 43 mil frascos de álcool em gel. Outros materiais já adquiridos que ainda serão distribuídos em 2021 incluem 20 milhões de máscaras, 2 mil totens de álcool em gel e 7 mil protetores faciais.

Escolas estaduais receberam mais R$ 12 milhões para adquirir EPIs

As escolas da rede estadual de ensino ainda receberam R$ 12,8 milhões em repasse emergencial do Governo Federal no fim de 2020 para o retorno das aulas presenciais. O valor foi distribuído entre 1.110 unidades escolares, incluindo as descentralizadas. O recurso deve ser utilizado para a aquisição de materiais de higiene, contratação de serviços para desinfecção, compra de EPIs, adequação e serviços para manter regras sanitárias, pequenos reparos na infraestrutura escolar e também melhorias para o acesso dos professores e alunos à internet.

O repasse é feito pelo Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), vinculado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que tem a finalidade de prestar auxílio financeiro para manutenção de escolas de educação básica das redes estaduais, municipais e privadas de educação especial sem fins lucrativos.

Com a pandemia de Covid-19, foi estabelecido pela Resolução FNDE nº 16, de 07 de outubro de 2020, o PDDE Emergencial. Criado com o objetivo de disponibilizar um valor extra às escolas para contribuir com as necessidades causadas pela pandemia, o programa é dividido entre 70% para Custeio, que consiste na compra de materiais de rotina escolar, e 30% para Capital, que se destina a aquisições que podem ser incorporadas ao patrimônio.


30 Janeiro 2021 09:30:00
Autor: Agência Brasil

Ao todo, estão inscritos 93 mil estudantes em 104 cidades

$artigoImagemTitulo

A primeira edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) digital começa neste domingo, 31. O exame será aplicado de forma piloto para um número reduzido de participantes, mas já poderá ser usado para concorrer a vagas no ensino superior. Ao todo, estão inscritos 93 mil estudantes em 104 cidades. Embora seja feito pelo computador, os candidatos deverão ir até os locais de prova e, assim como no Enem impresso, levar caneta esferográfica de cor preta.

Neste primeiro dia de aplicação, os participantes farão as provas de linguagens, ciências humanas e redação. No segundo dia, que será no dia 7 de fevereiro, os candidatos farão as questões de matemática e ciências da natureza. O número de questões objetivas (90 por dia), o tempo para fazer as prova e os horários de aplicação serão os mesmos do Enem impresso: cinco horas e meia no primeiro dia e cinco horas no segundo. Os portões abrem às 11h30 e fecham às 13h (horário de Brasília). 

A diferença é que a prova será feita pelo computador. As questões objetivas serão todas marcadas na tela, e os participantes não precisarão preencher o cartão-resposta à mão. A redação, no entanto, será escrita à mão, por isso a caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, é obrigatória. O tema e os textos motivadores estarão na tela. A correção também será feita da mesma forma que o Enem impresso. 

No segundo dia de exame, a caneta também poderá ser usada. Os participantes receberão uma folha de rascunho para fazer os cálculos das provas de exatas à mão, caso desejem. 

O que levar 

A lista do que pode ou não também é semelhante ao Enem impresso. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o Enem terá regras especiais de biossegurança. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem. 

Os participantes podem levar também a própria água e/ou bebidas não alcoólicas e lanche. Além disso, caso necessitem comprovar que participaram do exame, os estudantes podem imprimir, na Página do Participante, a Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. 

A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho. 

É importante lembrar que participantes que estiverem com sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa não devem comparecer ao exame. A medida é necessária para que o vírus não se espalhe e mais pessoas sejam contaminadas. Nesses casos, os candidatos poderão fazer a prova na data da reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro. Para isso, poderão fazer o pedido pela Página do Participante. A data para que isso seja feito ainda será divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).   

Vídeo explicativo 

Os locais de prova estão disponíveis no cartão de confirmação de inscrição, na Página do Participante. Também está disponível um vídeo que explica em detalhes como será o exame. Para garantir a segurança, os participantes receberão, no dia da prova, um código que precisarão digitar na tela antes de começar o exame e também quando finalizarem as provas.

Os computadores só terão acesso às provas. Os candidatos não terão acesso, por exemplo, à internet ou à calculadora. Na tela, quando a prova começar, aparecerão todas as questões. Será possível clicar em qual deseja acessar. O sistema também permite que o candidato escreva na tela com o mouse e que marque as questões para depois poder voltar nelas, por exemplo. 

Chegar cedo no Enem digital também pode fazer diferença. Antes de começar o exame, os participantes terão que ler uma série de instruções na tela. "O participante, chegando com antecedência, sentando no computador, terá a opção de ler as instruções da prova já. Não poderá acessar a prova, mas poderá, com calma, ler as instruções", acrescenta Mussi. 

Enem 2020 

O Inep vai divulgar os cadernos de provas do Enem digital logo após o fim das aplicações, no dia 31 e no dia 7 de fevereiro. Eles estarão disponíveis no site do Inep. Ao contrário do Enem impresso, já que a prova será no computador, os participantes não poderão levar os cadernos de prova. Os candidatos podem, no entanto, anotar as respostas na folha de rascunho. Os gabaritos oficiais serão divulgados até 10 de fevereiro.

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma versão digital. Cerca de 2,5 milhões de estudantes fizeram as provas do Enem impresso, o que corresponde a menos da metade dos inscritos. A aplicação piloto do Enem digital deverá ser o início de mudanças no exame nacional. A intenção é que o exame seja totalmente digital até 2026. 

O exame, tanto o impresso quanto o digital, foi suspenso no estado do Amazonas e o impresso foi suspenso em Rolim de Moura (RO) e em Espigão D'Oeste (RO) devido aos impactos da pandemia nessas localidades. Esses estudantes poderão fazer as provas também na data de reaplicação. Segundo o Ministério da Educação, foram cerca de 20 ações judiciais, em todo o país, contrárias à realização do exame.


Educação
28 Janeiro 2021 17:00:00
Autor: Por Rede Catarinense de Notícias

$artigoImagemTitulo

O Movimento Santa Catarina pela Educação lançou nesta quinta-feira (28) uma plataforma online para oferta de vagas de emprego e de cursos de qualificação e capacitação para trabalhadores. A ferramenta ainda contém uma lista de oportunidades com vagas em aberto e local para cadastro do currículo.

Segundo os organizadores, a plataforma é dinâmica e ao longo do tempo novos cursos e oportunidades vão aparecendo. De início, estão disponíveis cursos de português, inglês, mercado digital, matemática, empreendedorismo, competências socioemocionais, e finanças pessoais. A formação é gratuita e 100% online.

"Nós rodamos o Estado e percebemos que há uma demanda muito grande por trabalhadores qualificados. O Estado tem a menor taxa de desemprego, mas tem uma carência muito grande de pessoas capacitadas para atender as demandas de emprego no Estado" , disse o presidente da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar.

A entidade integra o Movimento e participou do lançamento, em parceria com a Federação do Comércio de SC (Fecomércio/SC), a Federação da Agricultura e Pecuária de SC (Faesc) e a Federação das Empresas de Transportes de Carga de SC (Fetrancesc).

A iniciativa marca o novo ciclo do Movimento SC pela Educação, com foco na recolocação de profissionais qualificados no mercado de trabalho, e está vinculada ao programa Travessia, que orienta a reinvenção da economia para transformar Santa Catarina em referência em desenvolvimento sustentável. Em 2021, a iniciativa chegou ao oitavo ano de atividade.

A plataforma, desenvolvida pelo núcleo de soluções digitais do Senai, pode ser acessada em msce.santacatarinapelaeducacao.com.br.


Enem 2020
26 Janeiro 2021 10:23:00
Autor: Por Agência Brasil

Inep recomenda que pedido seja feito pela internet

$artigoImagemTitulo

Candidatos que não puderam participar do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) por estarem com sintomas de Covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa e aqueles que não conseguiram fazer as provas por problemas logísticos já podem, desde o dia 25, pedir para participar da reaplicação do Enem na Página do Participante. O sistema ficará aberto até o dia 29.

As provas do Enem impresso foram aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro. Nas semanas que antecederam cada uma das aplicações, os candidatos puderam enviar exames e laudos médicos ao Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). Aqueles que ainda não o fizeram poderão, agora, acessar o sistema online. As provas da reaplicação serão nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Além da Covid-19, podem solicitar a reaplicação participantes com coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela.

Segundo o Inep, para a análise da possibilidade de reaplicação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, no momento da solicitação, documento legível que comprove a doença. Na documentação, deve constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10), além da assinatura e da identificação do profissional competente, com o respectivo registro no CRM (Conselho Regional de Medicina), do RMS (Ministério da Saúde) ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento deve ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB. 

Problemas logísticos

Também poderão pedir a reaplicação estudantes que tenham sido prejudicados por problemas logísticos. De acordo com o edital do Enem, são considerados problemas logísticos, por exemplo, desastres naturais que prejudiquem a aplicação do exame devido ao comprometimento da infraestrutura do local, falta de energia elétrica, falha no dispositivo eletrônico fornecido ao participante que solicitou uso de leitor de tela ou erro de execução de procedimento de aplicação que incorra em comprovado prejuízo ao participante.

No primeiro dia de aplicação, participantes foram impedidos de fazer o exame por causa da lotação dos locais de prova. Devido à pandemia do novo coronavírus, as salas deveriam ter até metade da lotação máxima. Em alguns locais, não foi possível acomodar os inscritos. De acordo com o Inep, esses casos foram relatados em pelo menos 11 locais de prova em Florianópolis (SC), Curitiba (PR), Londrina (PR), Pelotas (RS), Caxias do Sul (RS) e Canoas (RS).

Também terão direito à reaplicação os 160.548 estudantes que fariam a prova no estado do Amazonas, 2.863 em Rolim de Moura (RO) e 969 em Espigão D'Oeste (RO). O exame foi suspenso por causa dos impactos da pandemia nessas localidades. Ao todo, segundo o Ministério da Educação, foram quase 20 ações judiciais em todo o país contrárias à realização do Enem.

Os pedidos de reaplicação serão analisados pelo Inep. A aprovação ou a reprovação do pedido de reaplicação deverá ser consultada também na Página do Participante. Os participantes também podem entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800 616161. O Inep recomenda, no entanto, que os candidatos façam a solicitação pela internet.

Enem 2020

O Enem 2020 tem uma versão impressa, que foi aplicada nos dois últimos domingos, 17 e 24, e uma digital, que será realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

O Inep divulgará, até quarta-feira (27) os gabaritos das questões objetivas do Enem. Mesmo com o gabarito em mãos não é possível saber quanto se tirou no exame. Isso porque as provas são corrigidas com base na teoria de resposta ao item (TRI). A pontuação de cada estudante varia, entre outros fatores, de acordo com o desempenho do próprio candidato no exame.

O resultado final será divulgado no dia 29 de março. Os candidatos podem usar as notas para concorrer a vagas no ensino superior, por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior, e o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas. 


Ônibus
22 Janeiro 2021 13:24:00
Autor: Por Redação TN

O ônibus sairá de Pomerode às 11h30min e retorna às 18h40min

$artigoImagemTitulo

A empresa Volkmann, que presta o serviço de transporte em Pomerode, incluiu dois novos horários de circulação dos ônibus no segundo domingo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dia 24. O ônibus sairá de Pomerode às 11h30min, no ponto do Centro, próximo à Escola Doutor Blumenau, e retorna às 18h40min.


16 Janeiro 2021 11:44:00

Cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos no exame

$artigoImagemTitulo

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 começa a ser aplicado neste domingo (17) para milhões de estudantes em todo o país. Este ano, por causa da pandemia, os estudantes terão que seguir uma série de regras e, caso tenham sido diagnosticados com covid-19 ou apresentem sintomas da doença ou de outras doenças infectocontagiosas, devem comunicar o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) pelo telefone 0800-616161 e não precisam comparecer ao exame. Eles poderão fazer o exame na reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Antes de sair de casa, os participantes devem conferir os locais onde farão as provas, no Cartão de Confirmação de Inscrição, na Página do Participante. Embora não seja obrigatório, a recomendação é que levem o cartão para a necessidade de verificar alguma informação até a hora da aplicação.

Caso necessitem comprovar a participação no exame, os estudantes podem, também na Página do Participante, imprimir a chamada Declaração de Comparecimento para cada dia de prova, informando o CPF e a senha. A declaração deve ser apresentada ao aplicador na porta da sala em cada um dos dias. Ela serve, por exemplo, para justificar a falta ao trabalho.

Para fazer o exame alguns itens são obrigatórios. Este ano, além do documento oficial de identificação com foto e da caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, itens obrigatórios também nos exames anteriores, a máscara de proteção facial passa a integrar essa lista. Os participantes que não estiverem com máscara de proteção facial não poderão ingressar no local de prova.

É recomendado que os participantes levem máscaras extras para trocar durante a prova. Haverá nos locais de prova álcool em gel para que os estudantes higienizam as mãos, mas é permitido que os participantes levem seu próprio produto caso desejem.

Como a prova é longa, é também recomendado que os candidatos levem lanche e água e/ou outras bebidas, com exceção de bebidas alcoólicas que não são permitidas e podem levar à eliminação do candidato.

Primeiro dia de prova

Neste domingo, os participantes fazem as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação.

Os portões serão abertos às 11h30. Os estudantes podem entrar no local de prova até as 13h, no horário de Brasília. As provas começam a ser aplicadas às 13h30. Os candidatos terão 5 horas e 30 minutos para resolver as questões. A prova termina às 19h.

O exame continua no próximo domingo, dia 24, quando serão aplicadas as provas de ciências da natureza e de matemática.

Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos para fazer as provas. O Enem 2020 terá uma versão impressa, nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Amazonas

O Enem será aplicado em todo o território nacional, com exceção do Amazonas, em razão da calamidade provocada pela pandemia de covid-19.

As medidas de segurança adotadas em relação à pandemia do novo coronavírus serão as mesmas tanto no Enem impresso quanto no digital. Haverá, por exemplo, um número reduzido de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Com informações de Agência Brasil.


Enem
12 Janeiro 2021 10:27:00
Autor: Por Governo do Brasil

Para garantir uma aplicação segura, o participante terá até 1 hora e 30 minutos para acessar o local de prova

$artigoImagemTitulo

Os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 devem ficar atentos nesta edição. Os portões dos locais de aplicação serão abertos mais cedo, às 11h30 (horário de Brasília). Assim, o participante terá até 1 hora e 30 minutos para acessar o local de prova. Essa é uma das medidas de segurança adotada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em decorrência da Covid-19, para garantir uma aplicação segura para os 5.783.357 inscritos.

As provas serão aplicadas em 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital). Também foram estabelecidas regras específicas para reduzir aglomerações nos locais de prova, durante a aplicação. Os protocolos relacionados à doença foram definidos em conjunto entre o Inep e as empresas contratadas para a aplicação do exame, com base nas principais diretrizes do Ministério da Saúde e de outros órgãos e entidades de referência.

Horários de aplicação do Enem 2020:

Abertura dos portões - 11h30
Fechamento dos portões -13h
Início das provas - 13h30
Término das provas 1º dia - 19h
Término das provas 2º dia - 18h30





Endereço: Avenida 21 de Janeiro, 1845, Centro - Pomerode SC
Fone: (47) 3387-6420 | Whatsapp: (47) 99227-2173 | jornalismo@testonoticias.com.br
Sobre o jornal | Facebook | Instagram | YouTube