Emprego e Relações do Trabalho
20 Janeiro 2021 08:47:00

$artigoImagemTitulo

As unidades do Sistema Nacional do Emprego de Santa Catarina (Sine/SC) estão com quase quatro mil vagas destinadas para profissionais que estão procurando o primeiro emprego ou recolocação no mercado de trabalho. Destas, 52 ofertas são para pessoas com deficiência (PCD). Os setores com mais oportunidades de emprego são comércio, indústria, construção civil e prestação de serviços.

Já em relação ao número de vagas, a função com maior quantidade é a de auxiliar de linha de produção, com 505 ofertas só no município de São Miguel do Oeste. Há oportunidades buscando por profissionais de todos os níveis de formação escolar, com ou sem experiência, em mais de 40 cidades catarinenses.

Buscando uma vaga

Santa Catarina conta hoje com 100 unidades do Sine. Para consultar as vagas disponíveis na sua cidade, basta acessar o aplicativo Sine Fácil que pode ser baixado gratuitamente pela Play Store ou Apple Store, ou pelo site https://empregabrasil.mte.gov.br/.

Também é possível buscar atendimento presencial nas unidades do Sine, mediante agendamento prévio, via telefone, na unidade mais próxima da residência do trabalhador.


Veja as cidades com vagas disponíveis

Araranguá 38
Ascurra 24
Balneário Camboriú 129
Biguaçu 09
Blumenau 224 - PCD 20
Brusque - 31
Caçador 22
Camboriú 06
Campos Novos 197
Capinzal 69
Capivari de Baixo 03
Chapecó 131 PCD 04
Cocal do Sul 03
Concórdia 325
Criciúma 104 PCD 03
Dionísio Cerqueira 11
Florianópolis 22 - PCD 04
Fraiburgo 03
Garuva 14
Gaspar 87
Içara 39
Itajaí 101 PCD 03
Itapema 32
Ituporanga 22
Joaçaba 114
Joinville 246 PCD 13
Lages 14
Laguna 08
Mafra 26
Morro da Fumaça 54
Nova Veneza 03
Palmitos 02
Papanduva 10
Pomerode 04
Ponte Serrada 05
Rio do Sul 49
São Bento do Sul 127
São Lourenço D'oeste 89
São José 259
São Miguel do Oeste 812
Seara 04
Tijucas 131
Tubarão 244 - PCD 04
Turvo 08
Urussanga 21
Videira 08
Xanxerê 59 - PCD 01


Economia
19 Janeiro 2021 15:38:00
Autor: Por Agência Brasil

Pagamento será feito a cerca de 3,4 milhões de trabalhadores

$artigoImagemTitulo

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro começam a receber, nesta terça-feira (19), R$ 2,75 bilhões referentes ao abono salarial do calendário 2020/2021 - ano-base 2019. A Caixa Econômica Federal depositará o dinheiro na conta corrente informada ou na conta poupança digital, usada para pagar o auxílio emergencial, para quem não é cliente do banco.

As poupanças digitais podem ser movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem. Disponível para telefones celulares, o aplicativo permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), boletos bancários, compras com cartão de débito virtual pela internet e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros.

Para os funcionários públicos ou trabalhadores de empresas estatais, vale o dígito final do número de inscrição do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A partir de amanhã, fica disponível o crédito para inscritos com final 5. O Pasep é pago pelo Banco do Brasil.

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberam o abono salarial do PIS em 2020. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2021.

Os servidores públicos com final de inscrição do Pasep entre 0 e 4 também receberam em 2020. Já as inscrições com final entre 5 e 9 ficaram para 2021. O fechamento do calendário de pagamento do exercício 2020/2021 ocorre em 30 de junho.

Quem tem direito

Tem direito ao abono salarial 2020/2021 o trabalhador inscrito no Programa de Integração Social (PIS) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2019, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados tenham sido informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) ou e-Social, conforme categoria da empresa.

Recebem o benefício na Caixa os trabalhadores vinculados a entidades e empresas privadas. Em todo o calendário 2020/2021, a Caixa deve disponibilizar R$ 15,8 bilhões para 20,5 milhões trabalhadores.

As pessoas que trabalham no setor público têm inscrição no Pasep e recebem o benefício no Banco do Brasil (BB). Nesse caso, o beneficiário pode optar por realizar transferência (TED) para conta de mesma titularidade em outras instituições financeiras, nos terminais de autoatendimento do BB ou no portal www.bb.com.br/pasep, ou ainda efetuar o saque nos caixas das agências.

Para o exercício atual, o BB identificou abono salarial para 2,7 milhões trabalhadores vinculados ao Pasep, totalizando R$ 2,57 bilhões. Desse montante, aproximadamente 1,2 milhão são correntistas ou poupadores do BB, e aqueles com final de inscrição de 0 a 4 receberam seus créditos em conta antecipadamente no dia 30 de junho, no total de R$ 580 milhões, segundo a instituição financeira.

Abono salarial anterior

Os trabalhadores que não sacaram o abono salarial do calendário anterior (2019/2020), finalizado em 29 de maio deste ano, ainda podem retirar os valores. O prazo vai até 30 de junho de 2021. O saque pode ser feito nos canais de atendimento com cartão e senha Cidadão, ou nas agências da Caixa.

A consulta sobre o direito ao benefício, bem como ao valor à disposição, pode ser feita por meio do aplicativo Caixa Trabalhador, pelo atendimento Caixa ao Cidadão (0800-726-0207) e no site http://www.caixa.gov.br/abonosalarial/.

No caso do Pasep, os recursos ficam disponíveis para saque por cinco anos, contados do encerramento do exercício, de acordo com resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Os abonos não sacados são transferidos automaticamente para o próximo exercício, sem necessidade de solicitação do trabalhado


Economia
18 Janeiro 2021 13:35:00

IBC-Br ajuda o BC a tomar decisões sobre a taxa básica de juros

$artigoImagemTitulo

A atividade econômica brasileira registrou alta em novembro do ano passado, de acordo com dados divulgados hoje (18) pelo Banco Central (BC). É o sétimo mês consecutivo de crescimento, após as quedas de março e abril, devido às medidas de isolamento social necessárias para o enfrentamento da pandemia de covid-19.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou expansão de 0,59% em novembro em relação a outubro. Mas na comparação com novembro de 2019, houve queda de 0,83% (sem ajuste para o período, já que a comparação é entre meses iguais).

Em 12 meses encerrados em novembro, o indicador também teve queda, de 4,15%. No ano, o IBC-Br ficou negativo em 4,63%.

Taxa básica de juros

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic, definida atualmente em 2% ao ano. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo Banco Central para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Entretanto, o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o mercado financeiro, o PIB deve registrar queda de 4,37%, em 2020.


Economia
02 Dezembro 2020 08:42:00

Quem cadastrar Chave Pix no Sicoob ou fizer uma transação pela nova ferramenta passa a concorrer a prêmios

$artigoImagemTitulo

Para aumentar ainda mais a quantidade de Chaves Pix cadastradas e o número de transações Pix feitas em seus sistemas, o Sicoob iniciou uma grande promoção: serão sorteados R$ 425 mil em prêmios, com sorteio de 70 vales-poupança de R$ 5 mil e R$ 10 mil. A cada nova chave cadastrada ou transação Pix realizada, o usuário recebe um número da sorte a mais, aumentando as suas chances de ganhar.  

A promoção é válida para todos os cooperados, PF e PJ, e para os não-cooperados que possuem uma conta poupança no Sicoob. Além dos sorteios, outra promoção vigente, também relacionada ao Pix, é a isenção de qualquer tarifa durante 90 dias, contados a partir do lançamento do Pix em 16 de novembro. Ou seja, neste período, no Sicoob ninguém paga tarifas para enviar ou receber um Pix.

Segundo Marcos Vinicius Viana Borges, diretor-executivo de Operações do Centro Cooperativo Sicoob (CCS) - conjunto das instituições de âmbito nacional do Sistema, o objetivo das promoções é despertar o interesse e estimular a utilização do Pix por todos, com destaque para o micro e pequenos empresários, público fortemente beneficiado com a chegada do Pix, especialmente pelo recebimento imediato das vendas, que favorece o seu fluxo de caixa. "Ao lado da inovação tecnológica, o Banco Central concentrou-se na inclusão, pois, com um celular na mão, as pessoas têm condições de abrir digitalmente uma conta na instituição que desejarem, inclusive no Sicoob, com acesso imediato ao Pix. É super inclusivo".

A instantaneidade da transferência financeira e custos menores são pontos fortes do Pix para a sociedade brasileira. O serviço está em pleno funcionamento no Sicoob, 24h por dia, sete dias por semana, conferindo comodidade e agilidade para todos que mantêm uma conta no Sicoob, seja qual for o momento que precisarem.

Sobre o?Sicoob?-?O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil,?Sicoob, possui 4,8?milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390?cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do?Sicoob?(Sicoob?Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços?especializados para cooperativas financeiras. A rede?Sicoob?é a?quarta?maior?entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,4?mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária,?adquirência?de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras.?Mais informações acesse:?www.sicoob.com.br.



30 Novembro 2020 17:50:00

As parcelas que venceriam nos dias 16 de março e 15 de maio tiveram o pagamento postergado para 30 de dezembro

$artigoImagemTitulo

A Prefeitura de Pomerode fez um alerta em suas redes sociais na segunda-feira, dia 30, para os contribuintes da cidade, relembrando o pagamento da primeira e da segunda parcela do IPTU. A nota informa que, de acordo com a Lei Complementar número 384/2020 de 23 de abril, que prorroga os prazos de vencimento de tributos do ano de 2020, a primeira e a segunda parcela do IPTU, com vencimento original para 16 de março e 15 de maio, tiveram seu vencimento postergado para o dia 30 de dezembro.

Caso você ainda não tenha realizado o pagamento destas parcelas, não perca o prazo. Além disso, dúvidas podem ser tiradas através do setor de fiscalização tributária ou praça do cidadão da Prefeitura.



Recuperação
30 Novembro 2020 11:08:00

Produção industrial de SC cresceu acima do nível pré-pandemia, mas itens básicos estão em falta

$artigoImagemTitulo

A retomada da crise tem acontecido de forma acelerada em Santa Catarina. Segundo o Banco Central, de abril a setembro, a atividade econômica - considerado uma prévia do PIB - cresceu 15,5% no Estado e atingiu o maior resultado da história. Em setembro, segundo o IBGE, a taxa de desocupação caiu para 7,8% e setores importantes como serviços (+3,7%) e indústria (+4,5%) registraram alta no período.

Apesar dos bons resultados, uma questão tem preocupado os empresários: os insumos. Na indústria o problema está relacionado à falta de disponibilidade das matérias-primas. Com isso, 50,5% das empresas do setor não conseguem aumentar sua produção, de acordo com a Federação das Indústrias de SC (Fiesc). Isso acontece porque a velocidade na retomada pressionou a demanda, tornando a produção atual insuficiente.

Para atender a alta, o setor tem se movimentado. A ociosidade da indústria, por exemplo, chegou a 16% em novembro, menor resultado da história. Além disso o Estado também aumentou sua importação de cobre, matéria-prima essencial para a produção de motores elétricos, um dos principais produtos de exportação de SC. Segundo o Ministério da Economia, o Estado importou US$ 91 milhões do insumo em outubro, alta de 43,6% na comparação com o mesmo período de 2019.

Já na agroindústria o problema não está na disponibilidade, mas sim no preço. De acordo com a Epagri, a saca de 60kg de milho cresceu 44,6% nos últimos quatro meses, chegando a R$ 71,26 em outubro. Já a soja passou de R$ 103,33 para R$ 155,78, crescimento de 50,8% no período.

O aumento nos preços é ocasionado pela alta do dólar, o que também faz com que a maior parte da produção nacional seja exportada. Com isso, produtores de proteína animal, que dependem do milho e do farelo de soja para alimentar suínos, bovinos e aves, precisam importar os insumos, aumentando o custo de sua produção.

"Se continuar o cenário, ou os frigoríficos vão diminuir a produção ou fechar as portas. Nesse caso, quem é penalizado é o consumidor. Nós estamos avisando com antecedência, porque o setor não vai conseguir absorver esse aumento dos custos de produção", destacou o presidente da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV), José Antônio Ribas Júnior.

Outro insumo em alta é a energia elétrica. A Celesc já começou a praticar a nova tarifa, com alta média de 8,14%, e que atinge principalmente os micro e pequenos empresários. Quem consome energia de outros fornecedores deve ser afetado pela pressão do setor e pela seca histórica.


Otimismo
25 Novembro 2020 16:01:00
Autor: Por Rede Catarinense de Notícias

$artigoImagemTitulo

Em recuperação da crise causada pela pandemia, os lojistas de Santa Catarina estão otimistas com o Natal deste ano: 46,6% esperam aumento nas vendas na comparação com o ano passado. Para quase dois terços dos empresários (32,1%), o crescimento deve ser superior a 5%.

Os lojistas também estão otimistas com a alta no valor gasto pelos consumidores. O ticket médio previsto deve ser de R$ 198, o que representa uma alta de 13,6% na comparação com o que foi gasto em 2019. Os dados são da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC).

De acordo com os comerciantes, os presentes preferidos devem ser roupas e calçados (31,2%), seguidos por brinquedos (20,8%), eletroeletrônicos (14,5%) e chocolates (12,2%). Já o método de pagamento mais utilizado deve ser o cartão de crédito (60,5%).

Para o presidente da FCDL/SC, Ivan Roberto Tauffer, as incertezas da economia e a insegurança causada pela pandemia devem influenciar nas vendas. Entretanto, ele também acredita que o ritmo da retomada da economia no Estado e as adaptações para o momento atual adotadas por diversos setores produtivos podem amenizar esses efeitos.

"O Natal é uma data muito tradicional, que reúne a família e desperta a vontade de troca de presentes. Um discreto otimismo toma conta dos lojistas, que encontrarão uma nova forma de se relacionar com o cliente, agilizando a entrega, caprichando no atendimento e valorizando tanto a forma física quanto a online para facilitar o acesso aos produtos", destacou.


Economia
23 Novembro 2020 13:04:00

$artigoImagemTitulo

A Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc) prepara uma nova rodada de oferta de crédito para empresários catarinenses ainda em 2020. Serão mais R$ 170 milhões disponíveis até o final do ano, com recursos que contemplam micro e pequenas empresas que não conseguem apresentar garantias.
Do montante total, são R$ 100 milhões destinados a empresas que se caracterizam pela atividade turística - como hotéis, bares, restaurantes e outros - e que precisam comprovar atuação no setor. Os outros R$ 70 milhões serão disponibilizados para micro, pequenas e médias empresas com faturamento limite de R$ 90 milhões ao ano.
Os recursos poderão ser firmados com as garantias do recém-criado Fundo de Aval do Estado (FAE). O Fundo é uma iniciativa do Executivo, capitaneada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF), para assegurar crédito a empresários que não têm condições de apresentar garantias reais e contratam as garantias do Estado.

Por enquanto, equipe da SEF e do Badesc discute os regramentos dessa nova modalidade. O programa será semelhante ao que foi feito com o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), a nível federal.
Os empresários que pediram crédito ao Badesc no início da pandemia, especialmente da área de turismo, estão sendo contatados para oferta de recurso. Nos primeiros meses após a chegada do vírus, foi disponibilizado R$ 54 milhões em crédito emergencial, mas o valor ficou muito aquém do solicitado. Naquela época, a instituição chegou a fechar a lista por novos pedidos.
Segundo o presidente do Badesc, Eduardo Machado, o FAE vai capitalizar a instituição. Isso porque a SEF vai disponibilizar R$ 164 milhões - 24 parcelas de R$ 6,8 milhões - diretamente do tesouro estadual. O pagamento iniciou em outubro.
"Não é só a questão do aval. Também tem a questão do Badesc conseguir obter maiores limites de crédito para repasses financeiros com outras fontes de capital nacionais e internacionais", disse.

Cenário econômico

Ao longo do pagamento das próximas parcelas do FAE, a capacidade de ofertar crédito vai aumentar. A expectativa é de que os R$ 164 milhões permitam R$ 1,64 bilhão em financiamentos. A liberação de recursos será importante para a retomada econômica do Estado.
"A gente passou pelo famoso 'V' da economia, uma curva ascendente na recuperação. O que foi deixado de produzir antes está sendo produzido agora, especialmente com a expectativa de vendas de final do ano, Natal e etc", explicou Machado. Os novos recursos devem atender a necessidade por investimentos, não apenas de capital de giro, como foi no início da pandemia.
"O recurso que está aplicado no caixa do Badesc não rende o suficiente para pagar a estrutura, então a gente precisa transformar essa reserva, que já vem diminuindo em 2020. Nossa expectativa é ter apenas o necessário e o obrigatório, mas o restante estar aplicado nas empresas, na economia, fazendo girar", complementou.
Segundo ele, a taxa de desemprego e o risco de desequilíbrio nas contas públicas são fatores que preocupam e podem afetar a retomada econômica, já que impactam na intenção de investir do empresário. 


Economia
18 Novembro 2020 08:43:00
Autor: Por assessoria Sicoob

Para incentivar o novo sistema de pagamentos e recebimentos, instituição não cobrará tarifas durante 90 dias

$artigoImagemTitulo

Na semana em que se inicia a operação do Pix, o Sicoob - Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil - anuncia a isenção tarifária sobre todas as transações Pix, para pagadores e recebedores, pessoas naturais e jurídicas. A isenção valerá, pelo menos, até 16 de fevereiro de 2021.

Segundo o diretor-executivo de Operações do Centro Cooperativo Sicoob, Marcos Vinicius Viana Borges, o Pix muda aspectos importantes da relação dos brasileiros com a sua vida financeira. "O novo método de pagamento facilita todo o processo de transferência monetária e auxilia, em especial, micro e pequenos empresários, com isenção ou tarifas mais baratas e ausência de encargos financeiros, pois o recebimento das suas vendas é imediato", explica.

Para o diretor, a decisão de isentar as tarifas do Pix, alinhada aos objetivos do Sicoob, foi uma maneira de possibilitar o acesso à nova ferramenta por um maior número de pessoas naturais e jurídicas.

Borges destaca que o Pix é uma revolução no sistema financeiro nacional. "O Banco Central, no desenvolvimento do Pix, ao lado da inovação tecnológica, concentrou-se na inclusão, assegurando o acesso ao Pix por bancos, cooperativas financeiras e instituições de pagamento, estimulando e equilibrando a competição. Adicionalmente, o regulador definiu a figura de Contas Transacionais, permitindo a realização de transações Pix a partir de contas correntes, contas poupança e contas de pagamento, essa última oferecida por instituições de pagamento (fintechs e bigtechs). Com um celular na mão, as pessoas têm condição de abrir digitalmente uma dessas contas, na instituição que desejarem, inclusive no Sicoob, e acessarem de imediato ao Pix. É super inclusivo".

A instantaneidade da transferência financeira e custos menores são pontos fortes do Pix para a sociedade brasileira. O serviço também funcionará 24h por dia, sete dias por semana, conferindo comodidade e agilidade para todos, seja qual for o momento que precisarem.

O executivo conta que o Pix está bastante alinhado aos pilares do Sicoob, como incentivo à inclusão e justiça financeiras. "Em diversas localidades, somos a única instituição financeira presente. Por isso, é importante estarmos atentos às necessidades das pessoas e ao que há de melhor em tecnologia e inovação em favor dos brasileiros. O Sicoob é para todos".

Como avalia Borges, o Pix só está começando, e a sua capacidade transformacional é incrível. Basta analisar o que está por vir, como o Pix cobrança, o Pix saque (no comércio) e a condição de as pessoas pagarem as suas contas de água, gás, luz e telefone, os impostos e, em especial, as compras no comércio. Em um futuro próximo, o Open Banking também será revolucionário.

Sobre o?Sicoob?-?O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil,?Sicoob, possui 4,8?milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390?cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do?Sicoob?(Sicoob?Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços?especializados para cooperativas financeiras. A rede?Sicoob?é a?quarta?maior?entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,4?mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária,?adquirência?de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras.?Mais informações acesse:?www.sicoob.com.br.



Emprego
17 Novembro 2020 10:04:00
Autor: Por Laura Sfreddo

São 17 oportunidades para quem está buscando a inserção no mercado de trabalho

$artigoImagemTitulo

O Sine Pomerode divulgou a lista de vagas disponíveis, são elas: Armador de ferros; Auxiliar de cozinha; Auxiliar de limpeza; Auxiliar de linha de produção; Auxiliar de almoxarifado; Carpinteiro; Carreteiro (motorista de caminhão-carreta); Costureira em geral; Consultor de vendas e Vendedor interno.

O trabalhador pode fazer a consulta e a inscrição para vaga de emprego pelo site Emprega Brasil ou baixar o aplicativo Sine Fácil.

Caso tenha alguma dúvida, também pode agendar atendimento presencial no Sine de Pomerode pelo telefone 3387-7242, sendo necessária a apresentação dos seguintes documentos: Carteira de trabalho, RG, CPF e Comprovante de Residência.



Agricultura e Pesca
11 Novembro 2020 09:36:00

$artigoImagemTitulo

Os produtores rurais de Santa Catarina contarão com três novos programas para minimizar os impactos da estiagem. Nesta terça-feira, 10, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural anunciou um aporte de R$ 15 milhões, com recursos da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), que serão investidos em projetos de captação, armazenagem e distribuição de água para produtores rurais em situação de vulnerabilidade social e de médio porte, além do repasse de recursos para os municípios mais afetados.

"Estamos buscando alternativas para atender as necessidades emergenciais dos catarinenses que vêm sendo duramente castigados pela estiagem, e para isso envolvemos organismos do Governo do Estado, Alesc e também do Governo Federal. Essa união de esforços é fundamental para que possamos não apenas agilizar os processos, mas também ampliar as possibilidades de atendimento. Pela manhã me reuni com a bancada do Oeste, e reafirmamos o compromisso no sentido de sanar esses problemas também a médio e longo prazos", afirma a governadora Daniela Reihner.

O novo aporte de recursos de R$ 15 milhões soma-se aos R$ 24 milhões já aplicados em 2020 no apoio ao setor produtivo, chegando a R$ 39 milhões à disposição dos agricultores de Santa Catarina para reduzir os prejuízos com a seca e com outros efeitos climáticos. "A estiagem teve início já no ano passado em Santa Catarina e a Secretaria da Agricultura vem reforçando suas linhas de crédito, criando novos projetos de apoio aos produtores rurais. E esses novos investimentos irão fortalecer ainda mais essas ações. A intenção agora é atender agricultores que não se enquadravam nas linhas já disponíveis, ampliando nosso leque de atuação", explica o secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa.

"A estiagem já se mostrou como um evento cíclico em Santa Catarina e nós precisamos pensar em ações a longo prazo para que possamos dar mais tranquilidade aos produtores rurais. Estamos fazendo um grande esforço para incentivar a captação e armazenamento de água através também da construção de cisternas", complementa o secretário Gouvêa.

Os recursos serão distribuídos em três novas linhas de apoio disponíveis para produtores rurais que residam em municípios com o decreto de emergência ou calamidade em função da estiagem/seca reconhecidos pela Defesa Civil estadual. Os produtores interessados em participar dos Programas devem procurar a Epagri do seu município.

Projeto Especial de Abastecimento de Água para famílias em vulnerabilidade social e de renda do Meio Rural Catarinense

Serão R$ 10 milhões investidos em financiamentos via Fundo do Desenvolvimento Rural (FDR) para famílias cadastradas, preferentemente, no CadÚnico e/ou possuam renda anual familiar de até R$ 50 mil e que estejam sofrendo com problemas no abastecimento de água para as atividades essenciais. Segundo o Censo Agro do IBGE, são 37 mil famílias que podem se enquadrar nesse Programa em Santa Catarina.

Esse projeto atenderá agricultores que normalmente não se enquadram nos programas já existentes na Secretaria da Agricultura, por não possuírem Declaração de Aptidão ao Pronaf. Os produtores poderão acessar até R$ 10 mil ou até R$ 45 mil em projetos coletivos, com cinco anos de prazo para pagar em parcelas anuais e sem juros. O beneficiário que pagar em dia terá uma subvenção de 50% no valor da parcela, no ato do pagamento.

Projeto Especial Programa Menos Juros - Emergencial

Subvenção aos juros dos financiamentos contraídos por produtores rurais para investimento em sistemas de captação, armazenagem e distribuição de água. Serão R$ 3 milhões investidos para o pagamento dos juros, num limite de 2,5% ao ano, para financiamentos de até R$ 100 mil contraídos junto à instituições financeiras, com prazo de máximo de oito anos para pagar.

Nessa linha de crédito poderão ser atendidos médios e grandes produtores rurais com renda superior ao limite do PRONAF, agora esses produtores podem também contar com o benefício.

Convênio com municípios

A Secretaria da Agricultura firmará também convênios de até R$ 100 mil com municípios para contratação de serviços que visem amenizar os problemas de falta de água nas propriedades rurais. Nessa linha, os investimentos chegarão a R$2 milhões.

Outros programas disponíveis para os produtores rurais:

Água para todos

Financiamentos para construção de poços, estruturas de armazenagem e distribuição de água. Valor investido: R$1,5 milhão com um aporte adicional de R$ 3 milhões, totalizando R$ 4,5 milhões. O novo aporte de recurso irá beneficiar mais 150 produtores rurais de SC. Os financiamentos serão de até R$ 25 mil por produtor ou até R$ 50 mil para projetos coletivos, que poderão ser pagos em até 36 meses, com seis meses de carência e sem juros.

Programa Irrigar

Subvenção aos juros de financiamentos contraídos pelos produtores rurais, num limite de R$ 30 mil e juros de até de 4,5% ao ano, durante um período máximo de oito anos. Os bônus dos juros serão pagos anualmente para os agricultores.


Emprego e Relações do Trabalho
11 Novembro 2020 08:50:00

$artigoImagemTitulo

De acordo com levantamento do Sistema Nacional do Emprego (Sine), integrado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), são 4.423 oportunidades para ingressar no mercado de trabalho catarinense, sendo 66 ofertas para Pessoas com Deficiência (PCD).

Em todas as regiões existem cargos para preenchimento em diversos níveis de escolaridade. Os destaques ficam para as oportunidades de auxiliar de linha de produção, vendedor, auxiliar de cozinha, pedreiro, motorista, operador de caixa, repositor, comunicador de mídias audiovisuais, entre outras.

Como se candidatar

Mesmo contando com atendimento presencial nas agências do Sine/SC, que pode ser feito por agendamento, via telefone da unidade mais próxima da residência do trabalhador, as vagas estão sendo divulgadas pela internet, no site empregabrasil.mte.gov.br, assim como também devem ser acessadas pelo aplicativo Sine Fácil.

Melhor resultado

Em setembro, o Estado teve um resultado positivo de 24.827 vagas, mantendo o melhor desempenho na região Sul e terceiro maior saldo acumulado do país. Apenas São Paulo e Minas Gerais, os dois estados mais populosos do Brasil, obtiveram resultados superiores em números absolutos.

Confira as cidades com oportunidades atuais

Alberto Luz 04

Ascurra 07

Balneário Camboriú 200

Biguaçu 03

Blumenau 393 - PCD 05

Brusque 36

Caçador 30 - PCD 01

Camboriú 30 - PCD 01

Campos Novos 81

Canoinhas 34

Capinzal 34

Capivari de Baixo 01

Chapecó 124 - PCD 08

Cocal do Sul 03

Concórdia 188

Criciúma 122

Curitibanos 25

Florianópolis 39 - PCD 20

Forquilhinha 12

Fraiburgo 164

Garopaba 02

Garuva 54

Gaspar 11

Ibirama 06

Içara 47

Imbituba 10

Indaial 45

Itajaí 93 - PCD 05

Itapema 14

Ituporanga 39

Jaguaruna 13

Jaraguá do Sul 155 - PCD 01

Joaçaba 57 - PCD 01

Joinville 365 - PCD 10

Lages 22 - PCD 01

Laguna 10

Mafra 51

Maravilha 16

Morro da Fumaça 51

Navegantes 13

Nova Veneza 16

Palmitos 02

Papanduva 07

Pomerode 31

Porto União 05

Rio do Sul 39

Rio Negrinho 05

Rodeio 10

São Bento do Sul 147 - PCD 01

São Carlos 29

São Francisco do Sul - 08

São José 05

São Lourenço D'oeste 57

São Miguel do Oeste 705 - PCD 02

Seara 92 - PCD 01

Taió 41

Tijucas 136 - PCD 03

Timbó 08

Tubarão 306 - PCD 05

Urussanga 35

Videira 05

Xanxerê 64 - PCD 01


Desenvolvimento Econômico
04 Novembro 2020 09:12:00

$artigoImagemTitulo

Em outubro, Santa Catarina registrou R$ 2,8 bilhões na arrecadação total, o maior resultado de toda história. Os números consolidados de todo o mês, divulgados pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) nesta terça-feira, 3, apontam que somente com o ICMS a arrecadação somou R$ 2,3 bilhões, alta de 17%. Seguindo a tendência do mês passado, os três segmentos que registraram melhores resultados foram o de materiais de construção, com alta de 47,4%; a agroindústria, com crescimento de 36,3%; e a setor metalmecânico, cujo desempenho foi 23,4% superior a outubro de 2019.

Para a diretora de Administração Tributária (Diat) da SEF/SC, Lenai Michels, o resultado positivo é consequência de uma conjunção de fatores. "Tivemos uma retomada gradual da economia nos últimos meses, após a forte queda ocorrida no segundo trimestre desse ano. Além disso, é importante destacar a metodologia de trabalho aplicada pelo fisco catarinense, como o monitoramento, acompanhamento e o uso de malhas fiscais, iniciado no mês passado", explicou.

Segundo Michels, a adoção dessas práticas faz com que o fisco fique mais próximo do contribuinte, incentivando a autorregularização e o recolhimento espontâneo dos débitos. "Ao detectarmos os ilícitos tributários próximos da ocorrência do fato gerador, evita-se a geração de passivos fiscais impagáveis, além de contribuir para a continuidade das empresas no mercado", disse.

Outros motivos apontados para o crescimento da arrecadação foram a redução da alíquota interna entre contribuintes, de 17% para 12%, a retirada de diversos produtos da Substituição Tributária (ST) e a valorização do dólar, aumentando o valor das importações e, consequentemente, do ICMS recolhido pelos importadores.

No último mês, apenas dois segmentos apresentaram impacto negativo na arrecadação, em comparação com outubro do ano passado: o setor automotivo e de autopeças, com queda de 0,93%; e o de comunicações, com retração de 0,61%. "Em setembro, cinco setores apresentaram arrecadação negativa sendo que, somente no de automóveis, a queda registrada foi de 17%. Com os esforços da equipe da Fazenda e o aquecimento da economia, os números de outubro colocaram Santa Catarina no destaque nacional em retomada pós-pandemia", salientou o secretário da SEF/SC, Paulo Eli.


Economia
29 Outubro 2020 15:51:00

O montante é 5,4% inferior ao registrado em 2019, diz CNC

$artigoImagemTitulo

O pagamento do décimo terceiro salário aos trabalhadores brasileiros deve injetar R$ 208 bilhões na economia brasileiro neste ano. Em valores reais, o montante é 5,4% inferior ao registrado em 2019, de acordo com estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada hoje (29).

A queda de 5,4% é a maior retração anual desde o início do acompanhamento realizado pela CNC, em 2012. Um dos motivos para a queda é a Medida Provisória (MP) 936 deste ano, que autorizou a redução do salário proporcional à jornada e a suspensão temporária do contrato de trabalho, com a justificativa de preservar empregos em meio à pandemia da covid-19.

A CNC cita dados do Ministério da Economia que mostram que, entre abril e agosto foram firmados 16,1 milhões de acordos entre patrões e empregados no âmbito da MP 936, sendo 7,2 milhões de suspensão do contrato de trabalho 3,5 milhões de redução de 70% da jornada.

Segundo a CNC, o vencimento médio pago em 2020 (R$ 2.192,71) terá um recuo de 6,6% em comparação ao valor de 2019 (R$ 2.347,55). O presidente da CNC, José Roberto Tadros, atribui a queda do montante do décimo terceiro ao recuo expressivo da atividade econômica e do avanço da informalidade.

Fonte: Agência Brasil


Economia
26 Outubro 2020 08:40:00

Mês registrou o segundo melhor resultado de 2020, segundo prévia do BC

$artigoImagemTitulo

Segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC) nesta semana, a atividade econômica de Santa Catarina cresceu 3,4% na passagem de julho para agosto, com ajustes sazonais. O índice revela a rápida recuperação da economia catarinense. No auge da crise, em abril, o indicador, que mede a prévia do PIB, chegou ao pior resultado dos últimos dez anos. Entretanto, nos últimos quatro meses, o Estado acumula alta de 13,3%, fazendo com que a economia até ultrapassasse os patamares pré-pandemia. Neste sentido, o PIB catarinense em agosto foi o segundo melhor de 2020: só perde para janeiro.

"Alguns setores estão demorando um pouco mais, com [retomada em formato de] 'U', mas a maior parte dos setores está retomando em 'V'. Bateu no fundo e já recuperou rapidamente. [...] A economia como um todo, principalmente a industrial, está recuperando muito bem", disse o diretor de inovação e competitividade da Fiesc, José Eduardo Fiates.

A retomada em Santa Catarina tem sido mais rápida do que a média nacional. Enquanto o Estado já retomou os patamares pré-pandemia, o país cresceu de forma mais discreta.

"Registramos um dos maiores crescimentos do país, o que reforça que tomamos as medidas necessárias no momento certo", destacou o governador do Estado, Carlos Moisés da Silva.

Apesar de somar recuperação nos últimos quatro meses, a economia nacional ainda está abaixo do que era observado em fevereiro (-4,2%). Na comparação com agosto do ano passado, a economia encolheu 2,7%.

Entretanto, a queda foi mais brusca a nível nacional na comparação com o Estado. Em abril, quando as restrições estavam mais rígidas em praticamente todo o país, o índice de atividade econômica brasileira chegou ao seu pior resultado desde 2006.


Semana Supera 2020
19 Outubro 2020 13:52:00

Com depoimentos emocionantes de cooperados que conseguiram vencer o câncer, entidade visa estimular a força das pessoas no combate à doença

$artigoImagemTitulo

Em alusão aos meses de conscientização do câncer de mama e de próstata, o Outubro Rosa e o Novembro Azul, o Sicoob realiza uma grande ação na semana de 19 a 23 de outubro. O tema é "Semana Supera 2020" e a campanha conta com as histórias de cooperados que, com o apoio das assistências a doenças graves disponíveis nos Seguros de Vida do Sicoob, conseguiram superar o momento de dificuldade e se recuperaram plenamente.  

Um dos depoimentos mais marcantes é o da cooperada Jéssica de Brites, moradora do Espírito Santo. "Foi muito complicado no início, achei que o exame não daria nada, que seria mais simples. Quando veio o diagnóstico, pensei que não aguentaria, que não tinha muitas opções", afirma. Com a assistência do Seguro de Vida, ela consegue realizar o tratamento de cinco dias consecutivos de quimioterapia em outra cidade, arcando com despesas como hotel e transporte sem mexer no orçamento da família.

Esse apoio recebido por meio das assistências do produto, conversam diretamente com o que acredita Guilherme Ciarrocchi, diretor do Sicoob Seguradora "Ao contratarem um seguro de vida, muito mais que um produto, nossos cooperados adquirem proteção, que caminha em paralelo com os conceitos cooperativistas, como união, colaboração e prosperidade."

Além das histórias de superação, na segunda-feira, dia 19 de outubro às 19 horas, no canal oficial do Sicoob no Youtube, terá uma palestra exclusiva para cooperados e colaboradores com a cantora e apresentadora Sabrina Parlatore. A artista teve câncer de mama aos 40 anos de idade, em 2015, e passou por 16 sessões de quimioterapia e 33 de radioterapia.

Os cooperados que acompanharem a palestra on-line e gratuita da Sabrina e preencherem o formulário de participação ao final do evento, vão concorrer a cinco vales-compras on-line no valor de R$ 1.000.

Já quem contratar um Seguro de Vida, seja nas modalidades individual, mulher ou simples, durante a Semana Supera, terá um número da sorte para concorrer a vales-compras de R? 2.500 e R$ 5.000.

Tanto os vales do sorteio da palestra como os da ação promocional poderão ser substituídos por crédito em conta poupança do Sicoob, no valor equivalente à premiação. Todas as condições de participação e premiação, estão disponíveis no regulamento no site.

Sobre o Sicoob - O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,8 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quarta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,4 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br.



Emprego
14 Outubro 2020 10:37:00

$artigoImagemTitulo

O retorno do feriadão vem com boas notícias para quem deseja uma recolocação no mercado de trabalho catarinense. O Sistema Nacional do Emprego de Santa Catarina (Sine), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), oferece 4.937 vagas no Estado, entre elas, 109 para Pessoas com Deficiência (PCDs).

Os municípios com o maior número de vagas são São Miguel do Oeste (832 - 2 PCD), Concórdia (355), Chapecó (330 - 11 PCD), Joinville (287 - 12 PCD), Jaraguá do Sul (242), Balneário Camboriú (198), Içara (195), Tubarão (178 - 3 PCD), Blumenau 177 (09 PCD) e São Bento do Sul (165 - 18 PCD).

Os salários variam e contam com espaços para pessoas com ou sem experiência, para níveis superiores, médio e fundamental de escolaridade. As funções com mais oportunidades são para Linha de Produção Industrial, supermercados (estoque e caixa), atendimento em comércio, entre outras.

Segundo o coordenador estadual do Sine, Ramon Fernandes, são mais de 100 postos operando em atendimento presencial nos municípios de Santa Catarina, somando as unidades de gestão direta do Governo do Estado e os municipalizados.

"Quem está sem emprego e tem dificuldade para acessar as vagas de forma online, basta entrar em contato com a unidade do Sine mais próxima e agendar um horário para atendimento. Cada unidade está cumprindo protocolos básicos de segurança, como uso de máscaras por funcionários e usuários, distanciamento mínimo de um metro e meio por pessoa, entre outras medidas", destaca o coordenador.

Sem sair de casa

Para acompanhar as vagas disponíveis em Santa Catarina ou se candidatar, o trabalhador não precisa sair de casa. Todas as oportunidades disponíveis conforme seu currículo podem ser acompanhadas via site ou pelo aplicativo Sine Fácil.

Já para ofertar vagas, os empresários, comerciantes ou empreendedores devem entrar em contato com a unidade do Sine/SC mais próxima da sua região. O horário de atendimento do órgão, na maioria das cidades catarinenses, é das 13h às 18h.

Acompanhe o número de vaga por cidade:

Adalberto Luz 04

Araranguá 31 - PCD 01

Ascurra 08

Balneário Camboriú 198

Blumenau 177 - PCD 09

Brusque 33

Caçador 20

Camboriú 26

Campos Novos 65

Canoinhas 94

Capinzal 28

Chapecó 330 - PCD 11

Cocal do Sul 13

Concórdia 355

Criciúma 118 - PCD 03

Dionísio Cerqueira - 02

Florianópolis 138 PCD 21

Forquilhinha 04

Fraiburgo 108

Garuva 13

Gaspar 84

Içara 195

Imbituba 12

Indaial 34

Itajaí 81

Itapema 66 - PCD 10

Ituporanga 78

Jaguaruna 01

Jaraguá do Sul 242

Joaçaba 72 - PCD 01

Joinville 287 - PCD 12

Lages 32

Laguna 13

Mafra 50 - PCD 01

Maravilha 12

Morro da Fumaça 44 - PCD 11

Navegantes 04 - PCD 01

Nova Veneza 27 - PCD 01

Palmitos 02

Papanduva 01

Pomerode 51

Ponte Serrada 10

Rio do Sul 105

Rio Negrinho 10

Rodeio 22

São Bento do Sul 165 - PCD 18

São Francisco do Sul - 03

São José 07 - PCD 03

São Lourenço D'oeste 93

São Miguel do Oeste 832 - PCD 02

Seara 01

Taió 21

Tijucas 113 - PCD 01

Timbó 17

Tubarão 178 - PCD 03

Turvo 05

Urussanga 128

Videira 01


Emprego
06 Outubro 2020 14:58:00

O atendimento presencial precisa ser previamente agendado

$artigoImagemTitulo

O Sine Pomerode divulgou na terça-feira, dia 06, a relação de vagas disponíveis:   

-Auxiliar de Extrusão;

-Auxiliar de Produção;

-Costureiras;

-Tecelão;

-Armador/Soldador;

-Operador Preparador de Produção.

Os trabalhadores podem fazer a consulta e a inscrição para as vagas de emprego através do portal Emprega Brasil (empregabrasil.mte.gov.br) ou baixar o aplicativo Sine Fácil.

Caso tenha alguma dúvida, também é possível agendar atendimento presencial no Sine de Pomerode, por meio do fone: 3387-7242. É importante levar consigo a Carteira de Trabalho, RG/CPF e comprovante de residência.



Mercado de Trabalho
21 Setembro 2020 10:57:00

Saiba quais setores estão com vagas em aberto

$artigoImagemTitulo

O Sine Pomerode anunciou nessa segunda-feira, dia 21, que possui vagas em aberto. Confira abaixo a relação:  

 -Auxiliar de Produção;

-Auxiliar de Limpeza;

-Costureira;

-Auxiliar de Mecânico (Manutenção Automotiva);

-Mecânico (Manutenção Automotiva);

-Latoeiro;

-Operador de Máquina Refiladeira.

Mais informações podem ser obtidas através do fone 3387-7242 ou por email: pomerode@sine.sc.gov.br



Mercado Exterior
11 Setembro 2020 11:14:00

$artigoImagemTitulo

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia nesta semana, Santa Catarina faturou US$ 727 milhões com exportações em agosto. Este é o segundo maior valor do ano, atrás apenas de março, quando o Estado faturou US$ 731 milhões. Durante a pandemia, o pico negativo foi em junho, com US$ 614 milhões.

O resultado de agosto representa uma leve alta em relação aos US$ 723 milhões registrados em julho. Apesar do cenário praticamente estável na passagem mensal, o valor recebido com exportações ainda não chegou nos patamares observados em anos anteriores. Este é o pior agosto desde 2015.

A baixa nas exportações é puxada pelo enfraquecimento do mercado de frango, que, na comparação com agosto de 2019, teve queda de 33,3% no faturamento e de 15,5% no volume. As vendas ao mercado externo da avicultura catarinense têm sofrido neste ano com o fechamento de alguns países da Europa para o produto brasileiro e a redução nas compras de países asiáticos.

Por outro lado, a Ásia, especialmente a China, impulsionou as exportações de suínos. O faturamento com o comércio exterior do setor passou de US$ 65 milhões em agosto de 2019 para US$ 104 milhões em agosto desse ano, alta de 64%. Outro produto que registrou um crescimento importante nas exportações no período foi a soja, que passou de US$ 49 milhões para US$ 56 milhões.

Acumulado

De janeiro a agosto deste ano, Santa Catarina já faturou US$ 5,4 bilhões em exportações. O resultado representa uma queda de 11,5% em relação ao ano passado. Para o período, este foi o pior resultado do Estado desde 2016.

Assim como Santa Catarina, o Brasil também registrou uma diminuição no faturamento das exportações no período, passando de US$ 149,2 bilhões no ano passado para US$ 138,3 bilhões em 2020, uma queda de 7,4%.




Endereço: Avenida 21 de Janeiro, 1845, Centro - Pomerode SC
Fone: (47) 3387-6420 | Whatsapp: (47) 99227-2173 | jornalismo@testonoticias.com.br
Sobre o jornal | Facebook | Instagram | YouTube